Além de Nenê, qual é o principal jogador do Vasco nesta Série B?

Em 26/09/2016 21:10
 

Ederson foi o grande nome do Vasco na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-GO, sábado (24), pela 27ª rodada da Série B. Principal jogador, ídolo da torcida e craque do time, Nenê teve boa atuação – embora não tenha participado diretamente dos gols.

Vice-artilheiro do torneio, com 12 gols (apenas um a menos do que Felipe Garcia, do Brasil de Pelotas), Nenê é o grande goleador cruzmaltino na Série B. O camisa 10 também lidera nas assistências para o Gigante da Colina: ao todo foram seis. Ou seja 18 dos 43 tentos vascaínos saíram dos pés do meia de 35 anos.

Nenê é indiscutível, mas tirando o camisa 10 qual é o principal jogador do Vasco nesta Série B?

Seja nos números ou na qualidade do futebol, outro nome que está fazendo a diferença para o Gigante da Colina nesta caminhada rumo à elite é um jogador que vem se mostrando um completo meio-campista: Andrezinho.

Contratado depois que a negociação com Ronaldinho Gaúcho se mostrou um grande fracasso, o meia de 33 anos foi um grande sucesso pelo Vasco. Ajudou o time a ter esperanças de não cair no Brasileirão de 2015, foi peça importante no título carioca de 2016 e é vital na equipe de Jorginho nesta Série B.

Em 22 jogos disputados nesta segunda divisão, Andrezinho surpreende por ser extremamente efetivo em todas as funções de meio de campo. O camisa 11 é quem mais acerta passes no clube da colina (1072, segundo o FootStats). Mas é lógico que ele faz muito mais do que isso.

Apesar de Ederson e Luan dividirem a artilharia abaixo de Nenê, Andrezinho só está a um golzinho atrás dos companheiros de time (fez 4 gols, contra 5 do zagueiro e do atacante). No entanto, só deu menos assistências do que Nenê (4) e também fica atrás do camisa 10 nas assistências para finalizações (33).

Um número que impressiona, no entanto, não está tão ligado à parte ofensiva. Andrezinho é um meia de qualidade, com passagens vitoriosas por outros grandes clubes do nosso futebol. Mas no Vasco ele também vem aparecendo muito bem na etapa defensiva. O jogador efetuou 31 desarmes – atrás apenas dos volantes Marcelo Mattos e Diguinho.

Ele faz gol e cria jogadas de gol. Cruza, dá lançamentos e ainda briga para conseguir (e consegue!) recuperar a posse de bola.

Podem até não falar muito dele, mas a sua importância para o Vasco é gigante na atual temporada. E se o Gigante da Colina não poder contar com Nenê em um futuro próximo, o torcedor cruzmaltino já sabe em quem depositar as suas esperanças.