Análise: Jorginho usa esquema 4-3-2-1 em vitória contra o Joinville

Em 17/09/2016 13:58
 

Pela primeira vez em algum tempo, Jorginho tinha todos os jogadores à disposição para montar o time que enfrentaria o Joinville, na noite de sexta-feira, em São Januário. Fez o que poucos torcedores acreditavam que faria: deixou Jorge Henrique no banco e apostou em Junior Dutra e Éderson como seus atacantes. O esquema, como ele próprio explicou em entrevista coletiva, foi o 4-2-3-1 e contou com a volta de Marcelo Mattos ao meio-campo. Ainda que o adversário fosse consideravelmente mais fraco tecnicamente (está na zona de rebaixamento da Série B), a vitória por 2 a 0 mostrou uma equipe do Cruz-Maltino melhor estruturada e atenta do que vinha acontecendo nas últimas partidas. 

A postura do Joinville ao enfrentar o Vasco em São Januário de certa forma facilitou o estilo de jogo que Jorginho queria impor: o de atacar, de realmente partir para cima desde o primeiro minuto. A equipe catarinense estava retrancada, e o Cruz-Maltino aproveitou para tentar as investidas. A volta de Mattos, como o treinador pretendia, deu mais liberdade ao volante Douglas, que jogou mais como um meia de criação, ao lado de Nenê e Junior Dutra - completavam a linha de três.

Douglas, aliás, tem mostrado personalidade nos jogos, rapidez nas decisões tomadas em campo e inteligência nos passes. Em uma jogada, achou perfeitamente Nenê na grande área, mas o meia acabou isolando. O camisa 10, apesar do pé descalibrado nessa situação, foi importante na marcação na ausência de Jorge Henrique e recebeu elogios de Jorginho.

- Jogamos sem o Jorge Henrique, e havia uma necessidade de disciplina tática dele e do Dutra. Víamos o Nenê dando carrinho, indo atrás. O gol do Dutra foi importante, o do Pikachu também, mas para mim ver o Nenê crescendo junto com a equipe e a equipe junto com o Nenê é muito importante. Ficamos muito felizes de vê-lo voltando à sua melhor forma. Ele está fazendo com que a equipe cresça junto com ele - analisou Jorginho. 

Andrezinho, que não estava em grande noite, cobrou o escanteio que originou o gol de Junior Dutra, o primeiro do atacante com a camisa do Vasco. Este ainda procura o ritmo ideal, mas parece ser a grande aposta para o ataque ao lado de Éderson. O setor, tão indefinido e remexido ao longo da temporada, começa a ganhar forma e dono.

Autor do segundo gol, um golaço, por sinal, Yago Pikachu mostrou sua versatilidade ao sair da lateral direita e assumir a ponta esquerda, de Junior Dutra. O jogador balançou as redes nas duas últimas vitórias e vira uma carta surpresa do baralho de Jorginho.

No geral, o setor do meio-campo para frente (a defesa não teve tanto trabalho) movimentou-se de forma organizada, com Douglas e Andrezinho aparecendo perto da grande área para dar o último passe, com os deslocamentos laterais de Nenê e Junior Dutra e penetração dos atacantes. Mattos deu uma bobeada no segundo tempo, conseguiu se corrigir no mesmo lance, mas fez com que sua presença fosse de extrema importância para o esquema montado.



Contra o Santos, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil, a não ser que aconteça algum problema, o time é este. Conseguiu resultado positivo e agradou Jorginho e torcedores. Em quatro dias, o treinador há de dar ênfase nesse encaixe nos treinamentos e aproveitar o "luxo" de repetir a equipe em um jogo, o que estava difícil de acontecer nos últimos compromissos.