Aproveitamento do Vasco em SJ alcança até mesmo campeões brasileiros

11/11/2017 às 16h13 - FUTEBOL
Foto: Site Oficial do VascoVasco
Vasco

Embalado com o resultado obtido na última quarta-feira (08/11) diante do Santos, o Vasco da Gama encara o São Paulo neste domingo (12), às 17 horas. A partida é de suma importância para as pretensões do Cruzmaltino, que pode selar seu retorno ao almejado G7 em caso de vitória. Engana-se quem pensa, porém, que o jogo é especial apenas por isso. O duelo contra o Tricolor marcará o reencontro do Almirante com sua torcida em São Januário.

O Gigante da Colina não atua com o apoio dos seguidores no Caldeirão desde o dia 08 de julho, quando encarou o Flamengo, em jogo válido pela 12ª rodada do Brasileirão. Em virtude da punição imposta pelo STJD e do processo eleitoral, o Vasco não pôde contar com seu principal trunfo durante três meses ou nove jogos, sendo três em Volta Redonda, três no Maracanã, um no Nilton Santos e dois na Colina Histórica, ambos com portões fechados.

O desempenho vascaíno na competição nacional é classificado como satisfatório, porém os números mostram que poderia ser ainda melhor se as dificuldades mencionadas não tivessem sido encontradas. Nos sete jogos que fez em casa com o apoio de sua torcida, o Almirante conquistou cinco vitórias e sofreu apenas duas derrotas, o que simboliza um aproveitamento de 71,42%, média superior aos demais clubes do Brasileiro.

Os prejuízos causados pelas partidas sem torcida e/ou longe do Caldeirão foram enormes. Nos nove jogos que disputou nessas condições, o Gigante da Colina somou cinco empates, duas derrotas e duas vitórias. O aproveitamento deixou de ser o melhor e caiu para 40,74%, superior apenas a média do Atlético Mineiro, considerando as equipes que somam no currículo ao menos um título do torneio nacional.

Para se ter uma ideia, caso tivesse um aproveitamento de 60%, o Vasco da Gama teria hoje quatro pontos a mais e a entrada na zona de classificação para a Taça Libertadores de 2018, hoje o principal objetivo do clube, já teria acontecido há algumas rodadas. A situação seria ainda melhor se o Cruzmaltino mantivesse o aproveitamento de 70%. Essa média faria o Almirante ter mais sete pontos no atual momento da competição.

Vasco estava quebrando marca pessoal no Brasileiro com união entre time e torcida

Enquanto estiveram juntos, no Estádio de São Januário, jogando lado a lado, a torcida e o atual elenco vinham estabelecendo um novo recorde para o Vasco da Gama no Campeonato Brasileiro. Desde 2003, quando a competição passou a ser disputada no formato de pontos corridos, o Gigante da Colina jamais havia alcançado um aproveitamento igual ou superior aos 70% atuando dentro de seus domínios.

Em 2006, quando brigou até a última rodada por uma vaga na Taça Libertadores, o Cruzmaltino conquistou 56,14% dos pontos que disputou em casa no torneio. Cinco anos depois, em 2011, quando lutou até o fim com o Corinthians pelo título do Brasileiro, o Almirante teve um aproveitamento de 66,70% dentro de seus domínios. O melhor desempenho, porém, foi em 2010, quando o time obteve 68,42%.

Os números conquistados no início do torneio são tão impressionantes que se assemelham ao dos clubes que se sagraram campeões nacionais desde a primeira edição de pontos corridos. Tirando o Corinthians de 2005 e o Fluminense de 2012, todos os outros times que conquistaram o Brasileirão na "era dos pontos corridos" tiveram um aproveitamento igual ou superior aos 70% nas partidas em casa. 

A conquista de uma vaga para a Taça Libertadores sempre foi o objetivo do Vasco no Brasileiro. Para alcançá-lo, o Gigante da Colina sabia que seria essencial ter um excelente desempenho dentro de São Januário, e a campanha cruzmaltina em casa vinha sendo espetacular antes da separação. Agora, nove rodadas depois, o reencontro irá acontecer! Chegou a hora do torcedor voltar à Colina e ajudar o grupo a cumprir a "Missão Liberta 2018".


Retrospecto do Vasco como mandante no Brasileiro na "Era dos Pontos Corridos":

2017- 71,42% (jogando em São Januário com o apoio da torcida)
        - 40,74% (jogando fora ou em São Januário com portões fechados)
        - 54,17% (no geral)
2015- 36,84%

2013- 50,87

2012- 54,38%

2011- 66,66%

2010- 68,42%

2008- 54,38%

2007- 63,16%

2006- 56,14%

2005- 61,90%

2004- 47,82%

2003- 56,52%

Retrospecto dos campeões do Brasileirão na "Era dos Pontos Corridos":
 

2003 – Cruzeiro- 81,2%

2004 – Santos- 81,2%

2005 – Corinthians- 66,7%

2006 – São Paulo- 80,7%

2007 – São Paulo- 73,7%

2008 – São Paulo- 80,7%

2009 – Flamengo- 71,9%

2010 – Fluminense- 71,9%

2011 – Corinthians- 71,9%

2012 – Fluminense- 66,7%

2013 – Cruzeiro- 78,9%

2014 – Cruzeiro- 82,5%

2015 – Corinthians- 87,7%

2017- Palmeiras- 80,7%

Fonte: Site oficial do Vasco