Balanço do Vasco revela gastos sem comprovação de R$ 4mi de Eurico Miranda

06/05/2018 às 20h58 - POLÍTICA

Você, vascaíno, sabia que existe um “suprimento de caixa da presidência” no seu clube? E ele foi muito usado por Eurico Miranda em 2017, seu último ano de gestão. De acordo com balanço financeiro publicado recentemente, o ex-presidente gastou R$ 4 milhões por meio de cheques. Detalhe: sem qualquer documentação suporte.

No mesmo item 25 do balanço vascaíno, além da citação ao caixa presidencial, também consta o item “pagamentos diversos”, que faz menção do uso de mais R$ 1,5 milhão do dinheiro do clube. Outra vez sem a evidência de documentação suporte.

Mas esses gastos são apenas a ponta de um iceberg gigante, prestes a colidir com São Januário. Sucessor de Eurico, Alexandre Campello redigiu uma carta com 15 páginas, que antecede a apresentação das contas cruzmaltinas, para explicar em detalhes tudo o que encontrou assim que assumiu a cadeira de presidente, em 23 de janeiro.

Logo de cara, Campello descobriu que não havia um real nos cofres. Pior: o saldo era negativo em R$ 1 milhão. Eurico ainda devia os meses de novembro e dezembro, além de férias e 13º salário aos atletas e membros da comissão técnica.

O Vasco ainda tinha uma dívida de R$ 700 mil com a empresa responsável pela compra de passagens aéreas e reservas de hotéis – o limite contratual era de R$ 500 mil, ou seja, a agência estava impedida de realizar gastos para a viagem do Vasco ao Chile, que aconteceria dias depois, pela estreia da Libertadores.

A nova diretoria cruzmaltina não encontrou uma série de documentos tratados no balanço como “da mais alta importância” e o sistema de informações do departamento de futebol “não possuía vários contratos relevantes”. Ainda assim, foi possível constatar que o Vasco tinha dívidas vencidas a curtíssimo prazo na casa dos R$ 86 milhões.

A solução foi recorrer a um empréstimo de R$ 5 milhões junto ao empresário Carlos Leite. O dinheiro serviu para pagar os salários de novembro e parte dos débitos com a agência que emite passagens, permitindo, desta maneira, que as viagens para o Chile fossem reservadas. Ainda de acordo com o balanço, Paulinho vai render R$ 56 milhões ao Vasco, em operação total de R$ 76,7 milhões.

Antes da vitória por 4 a 1 sobre o América-MG, na noite deste sábado, uma série de atos estranhos marcaram a semana vascaína, com direito à invasão de torcedores e debandada de vice-presidentes. Campello chegou a admitir publicamente que se tratavam de atos políticos. Internamente, acredita-se que Eurico tenha idealizado as ações depois de ter suas contas reveladas por Campello.

Fonte: Yahoo Esportes