Basquete: Novo técnico da Seleção acompanhou Vasco x Flamengo

30/10/2017 às 08h16 - OUTROS ESPORTES

Novo técnico da seleção brasileira, Aleksandar Petrovic faz um "intensivão" sobre o Brasil antes do começo das Eliminatórias Fiba. Nos últimos dias, o croata passou por São Paulo e Minas Gerais para acompanhar de perto alguns dos 24 escolhidos para pré-lista dos dois primeiros jogos, contra Chile e Venezuela. "Aco" esteve na decisão do Paulista, entre Paulistano e Franca, e neste domingo viu em Belo Horizonte o clássico entre Flamengo e Vasco. Não bastassem as observações in loco, solicitou diversas partidas recentes do Brasil e dos principais clubes do país. Tudo para escolher melhor os 14 eleitos para primeira convocação, provavelmente no dia 7 de novembro. O Brasil pega o Chile no dia 24, em Osorno, e a Venezuela no dia 27, no Rio de Janeiro.

- Há quatro semanas venho acompanhando, e desde os Jogos Olímpicos conheço entre 12 e 15 jogadores do Brasil. Agora, neste pouco tempo, assistir a vários jogos do ano passado, da recente AmericaCup, e assisti a estas partidas agora. Quero ver todos os jogos possíveis para ver tudo o que o Brasil pode oferecer. Nessa primeira janela, esse trabalho é muito mais importante. A partir de fevereiro terei muito mais informações sobre jogadores, sobre os jovens de 20, 22 anos. Agora, tenho as ideias muito claras em relação ao que fazer nas duas primeiras partidas, contra Chile e Venezuela - explica Petrovic.

Nesta janela, o treinador colocou na lista nomes como Raulzinho, da NBA, e Marcelinho Huertas, do Baskonia. Ambos terão grandes problemas para serem liberados. A liga americana de basquete já avisou que não irá liberar os jogadores. E a Euroliga segue o mesmo caminho. Também por isso, dois atletas que estariam presentes estão fora: Nenê e Cristiano Felício. Mas Petrovic espera contar com Huertas ao menos no segundo jogo, contra a Venezuela.

- A NBA é intocável. Por isso, nos impede de ter bons jogadores como Cristiano Felício, Nenê... Mas eles vão participar em julho e setembro, em duas janelas, quatro partidas. Nas demais, temos bastante qualidade para enfrentar. Sobre a Euroliga, penso que para a segunda partida, contra a Venezuela, Marcelinho Huertas poderia estar no jogo, o que é muito importante, já que a Venezuela é uma equipe muito boa. Mas entre Fiba e Euroliga deve haver um acordo que vai fazer apenas o basquete do mundo inteiro ganhar - garante o treinador.

Com pouco tempo de trabalho até a estreia, Petrovic irá dar prioridade ao trabalho defensivo. O Brasil deve fazer entre seis e sete treinos para os duelos que iniciam a campanha em busca de uma vaga no Mundial de China, em 2019. Se não conseguir um lugar no Mundial, o Brasil estará automaticamente também fora da Olimpíada de Tóquio 2020. Aleksandar garante que os torcedores podem esperar duas vitórias.

- Podem esperar duas vitórias (risos). Vamos ter seis, sete treinamentos. Primeiro temos que trabalhar para defender bloqueios com os jogadores 4, 5, é muito importante. E dar muita atenção ao ataque, já que não teremos muito tempo. Vamos ver a qualidade dos jogadores que temos na primeira janela. Teremos uma boa equipe desde o princípio e vamos começar muito forte as duas primeiras partidas.

No clássico entre Flamengo e Vasco, o treinador pôde ver de perto vários pré-selecionados, entre eles Marquinhos, Olivinha, Lucas Mariano, Arthur Pecos e Fúlvio. O treinador, inclusive, elogiou Mariano e Marquinhos, e antecipou que ambos estarão na lista final.

- Marquinhos eu conheço, porque joguei contra ele pela Croácia, pela Olimpíada. Quero ter o Marquinhos jogando na posição 3 ou 4 nessas duas primeiras partidas. De Lucas, vamos saber nos sete, oito dias, quando darei a lista dos 14 jogadores convocados. Sei que Marquinhos e Lucas Mariano são jogadores importantes em suas equipes e estarão na lista.

Fonte: GloboEsporte.com