Basquete: Urubu deverá ser punido por briga entre torcedores no clássico

Em 04/10/2016 17:39
 

O Flamengo poderá ser punido por causa da briga entre integrantes de duas de suas facções, a Raça Rubro-Negra e a Torcida Jovem, na noite desta segunda-feira, no Tijuca, na derrota de 82 a 77 para o Vasco, pelo Estadual Masculino de Basquete, e a intenção é de uma resposta imediata. Segundo o presidente da Federação Estadual de Basquete (Fberj), Álvaro Lionides, o relatório da partida será enviado ainda nesta terça-feira para a Procuradoria do Tribunal de Justiça do Basquete pelo delegado do jogo, Luiz Cláudio dos Anjos. 

Com o documento em mãos, um procurador será sorteado para analisar o caso e decidir se cabe o enquadramento do rubro-negro e em qual artigo do código - na segunda-feira, ao comentar a possibilidade, Lionides considerou a hipótese de aplicação de multa e não de perda de mando de quadra pelo jogo ter sido apenas interrompido e não cancelado. A decisão terá de ser rápida, já que o Estadual vai terminar no fim deste mês, antes da abertura do NBB em novembro. 

Embora se tratasse de um jogo de torcida única, a do Flamengo, por determinação do Grupamento Especial de Policiamento de Estádios (Gepe), adeptos da Raça e da Jovem brigaram por duas vezes ao longo da partida. Um dos atos de selvageria ocorreu pouco antes do intervalo, fazendo com que a Polícia Militar tivesse de agir com energia e de usar gás de pimenta. Isso fez com que a partida fosse paralisada por cerca de 15 minutos. A outra confusão se deu quase ao fim do clássico e fez com que o jogo ficasse parado por cinco minutos. 

O presidente Lionides lembrou que a ideia da adoção de partidas com torcida única em ginásios menores como os do Tijuca, General Severiano e São Januário, havia sido do próprio Gepe, que não garantiria a segurança dos clássicos caso houvesse torcidas de dois clubes. Essa determinação será mantida, por exemplo, na sexta-feira, quando o Vasco vai receber o Botafogo em São Januário. O dirigente lamentou que ginásios com maiores capacidades de público, como o Maracanãzinho e a Arena Carioca 1 ainda não tenham sido liberados após a Olimpíada, e que o aluguel da Arena Olímpica custe cerca de R$ 100 mil. 

Também nesta terça-feira, o Gepe informou que ninguém foi detido devido à confusão entre os rubro-negros e antecipou que não vai pedir que haja jogos sem torcida. Mas vai reforçar policiamento para o próximo clássico.