Basquete: Vasco decepciona no NBB

31/01/2018 às 13h20 - CLUBE

André Barbosa e sua parcela de culpa no desempenho vascaíno no NBB, por Felipe Souza

O Novo Basquete Brasil (NBB) já está no segundo turno e o Vasco ainda não mostrou o bom basquete que todos imaginavam que veríamos quando o campeonato começasse (possui a campanha de 6 vitórias em 17 partidas). Mas de quem é a culpa pelo baixo rendimento do time ou quem tem a maior parcela nos resultados? Os jogadores? A crise financeira e política do clube? Atualmente, na minha opinião o maior culpado do desempenho medíocre da equipe de São Januário em quadra é o treinador André Barbosa. Vou mostrar alguns pontos que me incomodam nessa equipe.

1) Montagem do Elenco

A equipe que foi campeã da Liga Ouro no ano passado foi praticamente desfeita e altos investimentos foram feitos. O Vasco só manteve David Jackson e Nezinho. O ex-gerente do basquete vascaíno (Fernando Lima) e o treinador André Barbosa trabalharam juntos para montar um fortíssimo e caro time para a disputa do NBB. Chegaram ao time cruzmaltino jogadores como Fúlvio, Guilherme Giovannoni, Lucas Mariano, Gui Deodato, entre outros.

Além de um time 35% mais caro segundo o ex-gerente, a equipe ficou mais “velha” do que na temporada passada. A média de idade subiu de 30,1 para 31,1 de 2017 para 2018, ou seja, não foram atrás de jovens como, por exemplo, o Flamengo, que contratou o talentoso Arthur Pecos. Na época das contratações, André Barbosa falou para o GloboEsporte.com sobre como estava sendo o processo: “Todas as contratações foram escolhas de nós dois, e ele [Fernando Lima] está de parabéns pela forma como conduziu tudo”.

Com um elenco estelar, escolhido a dedo e candidato ao título do NBB, era imaginado que o ele conhecesse todos os atletas muito bem e suas características. Então, mesmo que demorasse para os jogadores ganharem entrosamento entre si, o entendimento entre o treinador e os jogadores seria o melhor possível. Mas isso não aconteceu, já que diversas vezes vimos os jogadores parecerem não entender o que André quer que eles façam em quadra.

2) Falta de Padrão de Jogo

Esse é o maior problema do André Barbosa atualmente. Muitos vão lembrar que o time vascaíno ganhou o torneio de pré-temporada, a Copa Avianca. Mas isso só serviu para iludir os torcedores, a diretoria e o próprio André Barbosa.
Foram jogos de baixa qualidade, algo normal já que os times estavam em preparação e a parte física ainda estava abaixo do esperado. Porém, esse torneio serviria para os jogadores começarem a assimilar o padrão tático do treinador. O título veio, mas o estilo de jogo em nenhum momento apareceu.

Quando a equipe estreou no NBB, ficou cada vez mais evidente as falhas do time. Defensivamente a equipe não consegue fazer a compactação de forma eficiente, a marcação individual não funciona quando o adversário faz simples movimentações sem a bola e quando o time opta pela marcação em zona não mostra organização nenhuma.

Ofensivamente o time mostra uma enorme dependência do David Jackson e quando ele não consegue render faltam jogadores para chamar a responsabilidade em quadra. Nezinho é o único que tentar assumir o papel de pontuador e líder em quadra, mas é inconstante. O time seleciona mal os arremessos, não consegue espaçar bem o jogo e muitas vezes se mostra estático em quadra. O único jogador que mesmo não rendendo bem defensivamente ajuda a equipe no ataque é o Giovannoni.

É evidente que muitos atletas ainda não conseguiram apresentar o basquete que nós conhecemos seja devido a uma lesão ou por não estar em um bom momento. Mas falta de padrão tático é falha do treinador, já que os jogadores foram pedidos dele e alguns já tinham inclusive trabalhado com o técnico. Ele montou a equipe e é esperado que ele saiba o que cada um pode render nas suas posições.

3) Gerenciamento de Pessoas

É sabido por todos que o André tem um temperamento forte e muito enérgico nas partidas. Algo ótimo quando você tem uma equipe que reage bem a esse estilo. Mesmo ele sendo muito ativo em quadra, o time se mostra apático e não parece reagir bem nos tempos técnicos em que o treinador esbraveja uma jogada ou cobrança.

Pelo contrário, os jogadores poucos se falam em quadra e cada vez mais o racha no elenco parece mais evidente. Bem verdade que a entrevista do Nezinho dizendo que “quem está insatisfeito, que vá embora” não ajudou em nada no momento em que o Vasco vivia o auge da crise política e financeira.

Mas André Barbosa em nenhum momento se mostra interessado em blindar os jogadores e falar com a imprensa para evitar que declarações como essa fossem para a mídia. Ele adota o método de ficar calado e deixar os jogadores expostos em situações que poderiam ser evitadas.

Mesmo com todos esses problemas é possível o Vasco da Gama se reabilitar na competição e jogar bem nos playoffs? Sim, é possível. O time tem bons jogadores e se conseguir resolver os problemas acima, pode sim virar um candidato ao título. Porém, o time ainda não deu sinais que isso possa acontecer. Enquanto isso, o torcedor vascaíno espera sentado por uma reação.

Fonte: Bala na Cesta - UOL