Basquete: Vasco faz clássico contra o Botafogo em São Januário

Em 07/10/2016 08:11
 
Vasco x BotafogoVasco x Botafogo
Foto: SuperVasco

De um lado o Vasco do técnico Christiano Pereira e de Nezinho e Murilo, único invicto do Estadual masculino de basquete e líder da competição. Do outro o Botafogo comandando por Márcio Andrade e dos americanos Phillip Flowers e Wesley Russell, única equipe que ainda não venceu e segura a lanterna do campeonato. Para aumentar ainda mais a disparidade entre os rivais que se enfrentam nesta sexta-feira, às 20h, em São Januário, pela primeira rodada do returno, os donos da casa terão força máxima no clássico, enquanto os alvinegros novamente não poderão contar com os experientes Rodrigo Bahia e Arnaldinho, machucados. 

Fora de combate desde o jogo contra o o próprio Botafogo, na abertura da competição, Rodrigo Bahia segue se recuperando de um problema no tendão e só deve retornar à equipe daqui a duas semanas. Além da ausência do pivô de 35 anos, Márcio Andrade também deve ficar sem Arnaldinho por um bom tempo. Com uma inflamação no segundo metatarso dos dois pés, o armador mal consegue pisar direito no chão e ainda espera o resultado da ressonância magnética para saber a gravidade da lesão. 

- Infelizmente continuo fora. Ainda não sei qual o laudo da ressonância, mas estou com uma suspeita de neuroma de morton, que é o espessamento de um nervo que passa entre os dedos do pé. Tenho que esperar o parecer do médico para saber se o caso é cirúrgico - explicou o camisa 11 do Botafogo, que perdeu os três jogos que disputou até agora no Estadual. 

Nada disso, porém, é capaz de diminuir a preocupação e o respeito dos vascaínos pelo adversário. Um dos jogadores mais experientes da equipe de São Januário, Murilo destaca a evolução do Botafogo após a chegada de mais um americano e espera um rival ainda mais perigoso comparado ao da estreia no Estadual.

- É um time que se fortaleceu no campeonato, que está se entrosando com a chegada do novo americano e isso deu uma encorpada na equipe deles. Fizeram um bom jogo contra o Flamengo, deram trabalho e acredito que será mais uma partida difícil. Nossa motivação é total, temos que esquecer tudo que passou e focar nesse confronto contra o Botafogo, que não foi um adversário nada fácil na nossa estreia. Foi uma partida onde abrimos uma certa vantagem e depois eles buscaram. Isso não pode acontecer, temos que entrar focados e manter o mesmo padrão de jogo até o final - analisou Murilo.

Para o pivô de 33 anos, mais importante do que a vitória por 82 a 77 sobre o Flamengo, na segunda-feira, no ginásio do Tijuca, foi a postura da equipe cruz-maltina após duas atuações irregulares, contra o Vitória, pelo Torneio do Ceará, e diante do Macaé, pelo próprio Estadual.

- Nós viemos de uma superação muito grande contra uma excelente equipe como o Flamengo, depois de duas atuações bem abaixo do que podemos jogar. Estamos atentos, conversamos bastante sobre o Botafogo e vamos tentar neutralizar alguns jogadores específicos deles para fazer um bom jogo e continuar na liderança do Estadual pelo menos até a próxima partida - prevê Murilo, se referindo ao confronto fora de casa, contra Macaé, dia 11 de outubro.  

Se o título Estadual é uma das prioridades do Vasco na atual temporada, para o Botafogo a competição serve principalmente como preparação para a disputa da Liga Ouro - divisão de acesso ao NBB. No entanto, isso não significa que o time do técnico Márcio Andrade irá deixar de lutar pela vitória fora de casa.

- É um clássico de grande rivalidade, onde esperamos ter uma sorte melhor e conseguir ficar mais tempo no jogo. Sabemos o potencial do Vasco, mas o Botafogo cresceu muito com as entradas do Phil e do Wesley. Nosso foco não é o Estadual, mas é lógico que sempre que possível vamos buscar a vitória em qualquer momento, principalmente quando a situação nos apresenta favorável. Não podemos negligenciar com a sorte e temos que segurar o resultado, é para isso que estamos trabalho. Espero que o time tenha bons momentos como em General Severiano, quando conseguimos nos manter vivos durante boa parte da partida, mas no final prevaleceu a maior capacidade técnica e atlética do time do Vasco - reconheceu o treinador alvinegro, que espera compensar as ausências dos experientes Arnaldinho e Rodrigo Bahia como o maior entrosamento dos americanos.

- Apesar das ausências do Bahia e do Arnaldinho, nós teremos o Phil e o Wesley mais acostumados com a equipe. Acredito que isso nos dá uma oportunidade de fazer uma grande partida. Nossa proposta é marcar forte como fizemos contra o Flamengo e levar a partida para o último minuto, e aí ver o que acontece.