Brant, Martín Silva, Viagem... Os bastidores da turbulência vascaína

18/01/2018 às 11h36 - FUTEBOL

Enquanto Eurico Miranda, Fernando Horta e Julio Brant passavam o dia em São Januário decidindo como assumir o Vasco e viabilizar o jogo contra o Bangu, os protagonistas da partida trocavam mensagens com apreensão no grupo do elenco no Whatsapp. Durante toda a quarta-feira, os jogadores cruz-maltinos mostraram incerteza e desconforto com a situação do clube.

Um dos mais indignados com a situação era o goleiro Martín Silva, um dos líderes do elenco. O estopim foi a declaração de Eurico, colocando em risco a viagem para o Chile, onde o time enfrenta a Universidad de Concepción no dia 31 de janeiro, pela pré-Libertadores. Segundo o dirigente, o prazo para pagar as passagens havia expirado.

Há também reclamações sobre a falta de material esportivo. O clube passa por um processo de troca de fornecedor: sai a Umbro e entra a Diadora. A situação até certo ponto é normal, mas o fornecimento ainda não foi normalizado.

O grande ponto, porém, é a indefinição política. A notícia de que o jogo contra o Bangu será com portões fechados não caiu bem entre os atletas. Embora a programação tenha sido normal para eles, o risco de a partida não acontecer causou incerteza. Tudo porque os três administradores indicados pela Justiça não se quiseram se comprometer com a segurança da realização do duelo.

- A verdade é que tem que decidir isso logo. Está ruim para todo mundo. O grupo só não desanimou de vez por causa do Zé Ricardo - disse uma pessoa próxima do elenco.

Apoio a Zé

O técnico, aliás, tem sido bastante elogiado. Mesmo com o turbilhão político, ele toca seu trabalho com tranquilidade. A postura do treinador agrada aos jogadores.

Brant tenta contato

Uma das queixas do grupo é a falta de comunicação. O elenco fez a pré-temporada toda num centro de treinamento em Vargem Grande e ficou relativamente isolado dos acontecimentos. Para tentar melhorar isso, os ex-jogadores Felipe e Pedrinho, que integram a chapa de Julio Brant, iniciaram contatos com os atletas.

Através de Felipe, Brant avisou aos jogadores que vai se comprometer em pagar os salários em dia a partir do que assumir. Pediu paciência para quitar os atrasados aos poucos. No momento, o Vasco deve os vencimentos de novembro e dezembro, assim como férias e 13º - outro ponto de insatisfação dos atletas.

O Vasco entra em campo nesta quinta-feira às 19h30, em São Januário. O time enfrenta o Bangu pela primeira rodada do Campeonato Carioca, em sua estreia oficial na temporada. O duelo acontece com portões fechados.

Fonte: GloboEsporte.com