Carlos Alberto, o camisa 10 do Vasco (fotos)

Em 17/01/2009 12:39
 

Embora deva usar o número 19, o camisa 10 do Vasco em 2009 será Carlos Alberto.


Veja fotos do 10 do Vasco


Dono de uma técnica apurada, Carlos Alberto dará muita qualidade à equipe vascaína. Sabe criar jogadas e também finalizá-las. Além disso, tem estrela e conquista títulos por onde passa. Foi assim no Fluminense, no Porto e no Corinthians. Poder dar fim ao jejum vascaíno que perdura desde 2003.


Números recentes de Carlos Alberto: Nos seis meses em que esteve no Botafogo em 2008, marcou dez gols em 28 jogos disputados.


Fora de campo, porém Carlos Alberto tem um histórico polêmico de brigas e discussões com treinadores e companheiros de equipe. Não engole desaforos, o que pode prejudicar o ambiente em determinados momentos. Outro fato que o prejudica é sua fome excessiva de bola. Individualista em certos momentos, peca por tentar resolver a situação sozinho.

Camisa 10 na última temporada
Foi um dos maiores da história vascaína: Edmundo. O Animal voltou ao clube pela sexta vez em 2008, mas colecionou decepções, como a perda dos pênaltis contra o Flamengo, na semifinal da Taça Guanabara, e Sport, na semifinal da Copa do Brasil. Além disso, acabou rebaixado pelo time de coração no dia 7 de dezembro de 2008. Mas apesar disso Edmundo ainda conta com crédito junto à galera vascaína: foi o artilheiro da equipe em 2008, com 44 gols em 24 jogos. Com a camisa do Vasco, soma um total de 135 em 243 jogos.


Maior camisa 10 do clube
É hoje, também, o presidente vascaíno: Roberto Dinamite. Roberto é considerado o maior ídolo da história do clube e eternizou seu nome com a camisa 10 da Colina. É o maior artilheiro da história dos Campeonatos Brasileiros, com 190 gols marcados. Com a camisa do Vasco, marcou 617 gols em 1.022 jogos.


Fala, camisa 10
Com a palavra, Carlos Alberto

Quando me foi oferecido o projeto do Vasco fiquei muito impressionado. É uma situação diferente. O Vasco passou por problemas em 2008 e não é todo o jogador que vai botar a cara para bater. Estou disposto a trabalhar, tenho esta vontade de jogar futebol, fome de bola. Quando eu perder isso, vou parar. Sempre gostei de competir. Temos tudo para ter um ano brilhante, acredito que poderemos voltar ao caminho que o Vasco merece. Além disso, a vida é feita de desafios. Se o projeto do Vasco não fosse bom, eu não viria. Mas aqui há pessoas sérias, um treinador sério, correto e um grupo com condições de brigar. Não vim para perder. Não estou em situação para ficar desvalorizado. Acredito e quero fazer parte deste projeto. Já ouvi comentários de que assinaria um contrato de seis meses para não jogar a Série B. Pegarei alguns jogos da competição, sim. Se fosse isso estaria sendo covarde, me omitindo. Vou jogar o início da Série B e com certeza vamos conseguir ampliar até o fim do ano. É o meu desejo fazer parte deste projeto. Roer esse osso e depois ficar no filé mingnon. Será o mais legal.

últimas das colunas

todos os colunistas