Casaca emite nota exaltando conquistas vascaínas e ironiza o rival

Em 29/09/2016 08:22
 
Taça do Sul Americano de 1948Taça do Sul Americano de 1948
Foto: Museu do Vasco

É Penta

Semana passada o site eletrônico Extra, vinculado ao Globo, no intuito de desmotivar o torcedor do Vasco a comparecer na partida contra o Santos, válida pela Copa do Brasil, que se realizaria na quarta-feira, publicou matéria na qual falava da dificuldade de o clube reverter um resultado negativo, obtido no jogo de ida, ao longo da história da competição.

O mesmo site perdeu uma ótima oportunidade de fazer uma matéria mais ampla e detalhada sobre os prejuízos de arbitragem ocorridos contra o Vasco ao longo da história na Copa do Brasil, como também não os considerou, especificamente os do jogo de quarta-feira passada, ponto fundamental para que o Santos levasse a vaga, mesmo diante dos absurdos vistos em São Januário protagonizados pela arbitragem naquela data.

Não vimos, entretanto, qualquer matéria alusiva ao rubro-negro no início desta semana, que lembrasse não ter o clube do “roubado é mais gostoso” passado das oitavas-de-final da Copa Sul-Americana em nenhuma das quatro vezes anteriores que a disputara, nos anos de 2003, 2004, 2009 e 2011.

O fato é que se o Flamengo é o Bangu da Libertadores, contando com um único título fabricado (wright?), na Copa Sul-Americana é o Bonsucesso, contabilizando a “invejável” marca de 4 vitórias, 4 empates e 6 derrotas.

O Vasco permanece sendo o único clube do estado do Rio de Janeiro a ter dois títulos sul-americanos principais (1948 (INVICTO)/1998), tendo sido a conquista de 1948 reconhecida em 1996, com status de Libertadores (vide a participação do Vasco na Supercopa Libertadores de 1997), é também o último clube do estado a ter conquistado uma competição Sul-Americana oficial, a Copa Mercosul de 2000, possui um título Intercontinental (Invicto), disputado em 1953 (do qual o Flamengo não pôde participar pela pífia campanha no principal torneio do Brasil daquele ano até ali) e, não custa lembrar, permanece sendo o único clube do Rio de Janeiro a ter disputado dois Mundiais Interclubes Oficiais, em 1951 e 2000, contra ZERO do resto.

Para os penta eliminados, deixamos aqui nossas Saudações HEXAS (1924, 1945, 1947, 1949, 1992, 2016).

Casaca!