Casaca publica nota sobre novo técnico do Vasco

Em 20/03/2017 08:07
 

Milton Mendes, anunciado pelo presidente Eurico Miranda como novo técnico do Vasco, chega cheio de atributos para assumir seu primeiro grande clube na carreira e tem tudo para em nosso clube construir um trabalho vitorioso e marcante.

Colhemos dados sobre a performance recente do treinador, últimos trabalhos, currículo, opiniões a respeito dele por outros profissionais da área e imprensa em geral, além de seu perfil sério e dedicado à profissão que abraça.

1) Técnico com títulos recentes

Mais simbólico que possuir títulos no currículo é tê-los conquistado recentemente, demonstrando ser um técnico atualizado e vencedor.

Em 2016, Milton Mendes fez história com o Santa Cruz, comandando as conquistas da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano. Em 2015, ganhou o Campeonato Paulista da Série A2 com a Ferroviária (SP), levando-a de volta pra elite do estado de São Paulo após 19 anos, chamando a atenção do Atlético Paranaense, que o contratou logo depois.

2) Conseguiu liderar o Brasileirão em 2015 e 2016

Nas últimas duas edições do Campeonato Brasileiro, Milton Mendes conseguiu fazer seus times chegarem ao topo do Brasileirão da Série A. Em 2016, o Santa Cruz começou bem a competição e a liderou por três rodadas. Em 2015, o jovem e desacreditado elenco do Atlético-PR também ponteou a tabela por três rodadas, após Milton Mendes pegá-lo com risco de rebaixamento no Campeonato Paranaense.

3) Performances no Atlético-PR e Santa Cruz em 2015 e 2016

Sob o comando do Atlético-PR, Milton Mendes obteve vitórias significativas no Campeonato Brasileiro daquele ano, derrotando o Atlético-MG, vice-campeão brasileiro, no turno e no returno, o Palmeiras fora de casa, além de vitórias em casa sobre Internacional-RS e São Paulo, todas as equipes citadas classificadas para a Taça Libertadores de 2016. Na derrota de sua equipe diante do Corínthians, em São Paulo, por 2 x 0 recebeu elogios públicos de Tite, treinador no qual disse pouco depois se inspirar. Contra as equipes classificadas à Taça Libertadores de 2016 foram nove jogos até a sua saída na 28ª rodada da competição, com 5 vitórias e 4 derrotas.

Durante sua passagem pela equipe paranaense somou 16 vitórias, 5 empates e 13 derrotas. Em 34 jogos seu time marcou 45 gols e sofreu 35.

Deixou ainda a equipe paranaense com a classificação bastante encaminhada para as quartas-de-final da Copa Sul-Americana e até ali invicta na competição.

Contratado pelo Santa Cruz em 28/03/2016, pegou o time classificado aos play-offs da Copa Nordeste, em segundo lugar no seu grupo, oito pontos atrás do Bahia, com a sexta melhor campanha entre os oito classificados.

Nos play-offs o Santa Cruz obteve quatro vitórias e dois empates, eliminando o Ceará, campeão do ano anterior, com duas vitórias, o próprio Bahia – equipe que o derrotara por duas vezes na fase inicial – na semifinal (empate em casa e vitória na Bahia), e o Campinense – Campeão da Copa do Nordeste em 2013 – na decisão (vitória em casa e empate fora).

O Santa Cruz jamais havia conquistado a Copa do Nordeste nas 13 edições anteriores da competição. Obteve, portanto, um título inédito.

No Campeonato Pernambucano de 2016 assumiu o Santa Cruz a uma rodada do fim da fase de classificação, com o clube fadado a terminar na quarta colocação, classificado para as semifinais com a pior campanha, 12 pontos atrás do Náutico, 9 atrás do Salgueiro e 6 atrás do Sport.

Na fase de classificação esteve à frente da equipe apenas na última rodada, quando o Santa empatou diante do Sport pelo placar de 1 x 1 na Ilha do Retiro. Nas semifinais sua equipe venceu o Náutico por 3 x 1 e 2 x 1, eliminando o adversário, e na decisão derrotou o Sport em casa por 1 x 0 no estádio do Arruda, conquistando o título após empate em 0 x 0 na Ilha do Retiro.

No início do Campeonato Brasileiro o Santa Cruz arrancou muito bem até a quarta rodada do certame, mas com Milton Mendes alertando para a necessidade de reforços, diante do alto grau de dificuldade previsto para o decorrer da competição.

O Santa Cruz chegou a golear em casa o Vitória e o Cruzeiro por 4 x 1, vencendo ainda Internacional-RS e Figueirense em Recife e o América-MG fora por 3 x 0, colhendo também empates fora de seus domínios contra Fluminense, Chapecoense e Grêmio, mas as 11 derrotas sofridas deixaram o time na penúltima colocação, entendendo o treinador, na virada do turno, que não deveria permanecer no comando técnico da equipe, praticamente fadada ao rebaixamento no Campeonato Brasileiro do ano passado.

Atuando no Santa Cruz em 2016, o centroavante Grafite marcou 12 gols em 26 jogos (16 dos 26 válidos pelo Campeonato Brasileiro), durante a trajetória de Milton Mendes no clube. Antes da chegada do treinador, o centroavante havia assinalado 6 gols na temporada (4 em partidas oficiais) em 13 jogos e não balançava as redes adversárias há 48 dias.

Já o atacante Keno havia marcado 3 gols na temporada pelo Santa Cruz, em 12 jogos, e após a chegada de Milton Mendes, até sua saída, assinalou 9 gols por sua equipe em 30 jogos. Dos 30 jogos, 17 foram válidos pelo Campeonato Brasileiro.

O Santa Cruz, sob o comando de Milton Mendes, marcou 41 gols em 34 jogos e sofreu 38. Foram 13 vitórias, 9 empates e 12 derrotas.

4) Excelente custo/benefício

Atualmente, somente dois técnicos são inquestionáveis no futebol brasileiro: Tite (Seleção Brasileira) e Cuca (atual campeão brasileiro pelo Palmeiras). Cuca está fazendo um primeiro semestre sabático, dando-se ao luxo de não trabalhar em nenhum clube e Tite dirige a Seleção Brasileira.

Entre os que estão disponíveis no mercado e foram ventilados pela imprensa, pode-se afirmar que qualquer técnico que pegasse o Vasco neste momento seria uma aposta.

Há fortes ponderações, por exemplo, em relação aos desempenhos pretéritos de Levir Culpi, Marcelo Oliveira, Ney Franco, Oswaldo de Oliveira, Ricardo Gomes e Vanderlei Luxemburgo. Uns num passado mais afastado e outros num mais recente obtiveram conquistas importantes, mas nenhum deles obteve qualquer título no ano passado, apesar de em vários casos terem tido a oportunidade de dirigir grandes equipes do futebol brasileiro.

Quanto a Rogério Micale, outro nome ventilado, não possui nenhum trabalho em clube que tenha chamado a atenção do grande público e vem de uma performance ruim com a Seleção Brasileira Sub 20, eliminada do Mundial da categoria, após má performance no Sul-Americano, disputado no Equador.

Sobre Milton Mendes, trata-se de um técnico estudioso, em alta desde 2015, quando treinou um clube de Série A pela primeira vez, é considerado por muitos na imprensa como uma das revelações entre os treinadores do Brasil e pronto para dirigir um grande clube brasileiro. Uma aposta elogiável da direção cruzmaltina e merece todo o apoio dos torcedores.

5) Capacidade para treinar o Vasco

O público já sabe que Milton Mendes é um dos únicos treinadores da nova geração no Brasil com os quatro níveis completos do curso para treinadores exigido pela UEFA, que capacita profissionais a treinarem qualquer equipe europeia.

É ele um profissional atento às mudanças táticas no futebol e às variáveis dos sistemas mais modernos hoje utilizados.

Antes do chamamento do Vasco recusara proposta do Sport no ano passado, por entender ser um trabalho a princípio de curto prazo (até o fim do Brasileiro de 2016), não titubeando em voltar à Portugal para especializar-se em novos cursos naquele país.

Como não apoiar um técnico de futebol com esse perfil, com sede de mostrar sua capacidade, e que quer alcançar algo de grandioso na carreira, tendo a oportunidade de executar isso no nosso clube?

Temos um time bastante qualificado e que ainda se reforçará pontualmente este ano. Contamos agora com um treinador capaz de obter o melhor dessas peças individual e coletivamente (principalmente). É a hora da virada. Estamos em março, em início de temporada ainda, e vamos para as cabeças em 2017.

Boa sorte ao novo treinador!

Casaca!