Caso da urna 7 segue favorável a Julio Brant

15/01/2018 às 21h13 - IMPRENSA

O juiz Ricardo Cyfer, da 17ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, rejeitou o pedido de dois membros da chapa “Reconstruindo o Vasco”, de Eurico Miranda, para analisar a validade dos votos da urna 7. A informação foi divulgada primeiramente pelo jornal "Extra".

Cyfer alegou que o caso já vem sendo discutido na 52ª Vara Cível, da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves. Por isso, não entendeu cabível que o processo fosse discutido novamente. Desta forma, a validade dos votos sequer foi analisada pelo juiz.

O processo da 52ª é, no momento, favorável à chapa “Sempre Vasco Livre”, de Julio Brant. Maria Cecília determinou que os votos da urna 7 fossem anulados, o que deu a vitória a Brant. A decisão foi confirmada em segunda instância pela desembargadora Marcia Alvarenga.

O Vasco ainda tenta recorrer para reverter a situação. Há um mandado de segurança impetrado no STJ, cuja decisão deve sair nesta terça-feira. Além disso, o clube entrou com um pedido de reconsideração da decisão de Marcia Alvarenga, mas o tema só será apreciado na próxima semana, por um colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio.

Fonte: GloboEsporte.com