Clima de tensão cerca a reunião do Conselho Deliberativo desta sexta (08)

08/06/2018 às 08h02 - FUTEBOL

Além da grande reformulação que promoveu no departamento de futebol após o pedido de demissão do técnico Zé Ricardo, o presidente do Vasco, Alexandre Campello, ocupou seu tempo esta semana com reuniões a portas fechadas com o ex-mandatário e atual presidente do Conselho de Beneméritos, Eurico Miranda. Em pauta, a tentativa de trégua no clima de tensão que cerca a reunião do Conselho Deliberativo que acontecerá nesta sexta-feira.

Desde que adotou posturas contrárias a Eurico e a Roberto Monteiro (presidente do Conselho Deliberativo), Campello não tem tido paz para administrar o clube e sofre uma série de denúncias. Mês passado, por exemplo, livrou-se nos votos entre os conselheiros de uma possível abertura de impeachment.

Ciente de que não terá sossego para governar desta forma, o atual presidente procurou Eurico e encontrou receptividade. Há quem diga que, para o acordo, Campello tocou no assunto que mais causa temor em Miranda no momento: o balanço financeiro divulgado recentemente e que deixou o ex-mandatário em saia justa. Em contrapartida de um possível alívio nas investigações do documento, Alexandre ganharia apoio político interno, onde o famoso cartola ainda tem força.

Um sinal de que Eurico está disposto a aceitar a trégua foi a nota divulgada por ele no próprio site oficial onde rechaçou a possibilidade de punição a "qualquer membro de poder" na reunião desta sexta.

"(...) O pedido da reunião foi aprovado numa reunião do Conselho de Beneméritos. A discussão deve levar a uma harmonização com respeito a atuação estatutária de cada um. O debate democrático deve prevalecer para que os Poderes do clube possam conviver com as suas respectivas responsabilidades. Não há hipótese de punição a qualquer integrante de Poder, não só porque não há essa discussão na pauta, como a busca será pelo entendimento".

Um dos pontos polêmicos a serem discutidos na reunião desta sexta é a indicação de seis nomes para benemerência no clube. Campello tentou impedir os títulos honoríficos por meio de acordo na Justiça. Entre os possíveis congratulados está Roberto Monteiro e outros cinco nomes que fazem parte da "Identidade Vasco", grupo político que se desligou da diretoria no início do mês passado por divergências com o presidente do clube.

Na apresentação do técnico Jorginho, Campello garantiu que segue contra essas indicações:

"Não existe qualquer acordo entre eu e Eurico Miranda. Continuo contra a indicação de benemerência. Quanto a usurpação de poder, a outra pauta, estou absolutamente tranquilo. Exerci minha função de presidente com atos que cabem a isso. Não vejo problema algum", disse complementando posteriormente: "Existe diálogo de poderes. Querem que o Vasco tenha união, mas não praticam isso. Está na hora dessas pessoas deixarem o Vasco seguir seu curso, que é o mais importante".

Além de votar pela aprovação ou não de tais nomes, os conselheiros irão analisar nesta sexta-feira, na sede cruzmaltina na Lagoa (RJ), possível "usurpação de poder e invasão de competência" por parte de Campello no que seriam atribuições dos Conselhos Deliberativo e de Beneméritos.

Fonte: UOL Esporte