Clima no Vasco já é de mudança e de muita incerteza

10/01/2018 às 08h10 - FUTEBOL
Foto: Globo Esporte Eurico Miranda
Eurico Miranda

A rescisão de contrato de Anderson Martins com o Vasco por conta dos salários atrasados e a posterior transferência do zagueiro para o São Paulo pode ser o pontapé inicial para a saída de outros jogadores do elenco. Com a nova vitória do candidato de oposição Julio Brant na Justiça, o clima no clube já é de mudança e de muita incerteza.

Eurico Miranda, por exemplo, admite que não oferecerá muitas barreiras para os insatisfeitos:

"Nunca fiquei com jogador que não queira continuar. Se alguém me procurar e disser que quer sair porque não está bem, tudo vem. Vamos ver a forma que ele vai sair e a gente libera". 

Ciente de que a reversão do atual quadro é bem difícil, a diretoria já não dá mais garantias de que os vencimentos atrasados serão quitados. Atualmente, o elenco tem a receber o salário de novembro, o 13º salário e férias. Teoricamente, a remuneração de dezembro também já venceu, mas o clube possui um acordo de validade até o dia 20 de cada mês.

A sobrevida que o Vasco teve foi a venda de Philippe Coutinho do Liverpool (ING) para o Barcelona (ESP), que renderá aos cofres cruzmaltinos cerca de R$ 15,5 milhões. Ocorre, porém, que por conta das burocracias do mecanismo de solidariedade da Fifa, o clube só poderá receber a quantia em cerca de 30 dias. Por conta disso, é possível que o presidente Eurico Miranda recorra a um empréstimo bancário e utilize o tema como garantia.

Questionado se tal valor conseguiria quitar todas dívidas, o dirigente garantiu que sim:

"Dependendo do valor, sim. A folha do Vasco é de R$ 5 milhões. Se o Vasco receber R$ 15 milhões, quita tudo. Simples".

Nos corredores de São Januário já há um consenso entre funcionários que é chegada a hora de mudanças. Muitos demonstram preocupação, principalmente por conta dos discursos de membros da situação de que o quadro sem Eurico ficará "pior que a era de Roberto Dinamite".

Fonte: UOL Esporte