Com atuação de gala de Martín Silva, Vasco quebra tabu no Mineirão

26/11/2017 às 18h57 - FUTEBOL
Foto: Carlos Gregório/Vasco.com.brNenê e Paulão
Nenê e Paulão

O Vasco passou algumas rodadas do Brasileiro desperdiçando chances e lamentando empates. E, às vezes, derrotas. Neste domingo, no Mineirão, a história foi totalmente inversa. A equipe de Zé Ricardo foi pressionada desde o início e só saiu com a vitória graças a uma atuação de gala de Martín Silva.

- Nos últimos jogos a gente não pode reclamar da entrega, às vezes falta sustentação, mas tem que se doar. A gente soube sofrer , nos dá mais moral para o próximo jogo - disse Anderson Martins.

Com, praticamente, apenas um jogador com características de marcação no meio de campo, Wellington, o Vasco oferecia espaços ao Cruzeiro no primeiro tempo. Enquanto o quarteto ofensivo do time de Zé Ricardo, formado por Nenê, Pikachu, Paulinho e Andrés Ríos pouco produzia, Arrascaeta, Thiago Neves, Robinho e Rafinha criaram boas chances.

Aos 13, Robinho tabelou na área com Arrascaeta e chutou rente à trave direita de Martín Silva.

O Vasco ainda não tinha chegado com perigo ao gol de Rafael quando, aos 20, Paulão abriu o placar, após escanteio cobrado da direita por Nenê. Nove minutos depois, Arrascaeta tabelou com Thiago Neves na entrada da área, e Martín Silva evitou o empate.

PUBLICIDADE

aos 31, Rafinha entrou em velocidade e na área e rolou para Arrascaeta chutar. Desta vez, quem evitou o empate foi Henrique, que tirou quase em cima da linha.

aos 40, Robinho fez ótimo lançamento para Thiago Neves, que ganhou de Paulão, mas chutou por cima do gol.

No intervalo, Zé Ricardo tirou Evander e colocou Jean, para tentar segurar o ímpeto ofensivo cruzeirense.

Paulinho, que pouco produziu, deu lugar a Wagner aos 16. Mas o Cruzeiro seguia mandando no jogo e, três minutos depois, Martín Silva tirou com um pé um chute de Arrascaeta.

A última cartada de Zé Ricardo foi tirar Nenê e lançar Mateus Vital, aos 23.

O panorama, no entanto, não mudou. E cada bola na área vascaína era um verdadeiro ‘Deus nos acuda’. Aos 26, Anderson Martins chegou antes da cabeçada de Digão na pequena área e evitou o empate.

No melhor momento do Vasco na partida, Ríos puxou contra-ataque e rolou para Pikachu chutar e Romero salvar quase em cima da linha. Na continuação da jogada, Vital chutou fraco, e Rafael fez a primeira defesa na partida.

A tarde, no entanto, era de Martín Silva, que voltou a aparecer bem em jogadas de Digão e Judivan. Aos 46, Vital obrigou Rafael a fazer ótima defesa.

Fonte: O Globo