Confira como foi o empate entre Vasco e Santos

Em 16/07/2017 17:56
 

Sem torcida para apoiar e sem gols. Assim foi a partida entre Vasco e Santos, no Estádio Nilton Santos, na tarde deste domingo, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Punido por causa da briga da sua torcida e pela violência gerada no clássico contra o Flamengo, o Cruz-maltino encarou o Peixe com portões fechados e não conseguiu uma vitória em "casa"

— Não existe pressão do lado de fora. A motivação e concentração têm que vir de dentro — disse Nenê na saída para o intervalo, ao comentar a falta de público.

O Vasco volta a campo na próxima quarta-feira, quando enfrenta o São Paulo, às 21h45m, no Morumbi. Já o Santos joga no mesmo dia, às 19h30m, contra a Chapecoense, ambos os jogos pela 15ª rodada do Brasileiro.

O JOGO

A melancolia das arquibancadas vazias parece ter afetado o ânimo e inspiração dos jogadores, especialmente no primeiro tempo.

Foram 46 minutos de muitas faltas e pouquíssimas finalizações, com Nenê e Lucas Lima tentando criar algo de lado a lado, mas esbarrando nos sistemas defensivos.

O Vasco tentou um pouco mais, e ameaçou em uma cabeçada de Rafael Marques e em uma cobrança de falta de Yago Pikachu — a bola passou perto do travessão nos dois lances.

Na única conclusão que foi efetivamente na direção do gol, aos 30 minutos, Jean chutou tão fraco que o lance quase pareceu uma recuada de bola para o goleiro santista.

O Vasco voltou um pouco mais aceso do vestiário. Logo aos cinco, Nenê cruzou da esquerda e Thalles cabeceou com muito perigo. Pouco depois, o camisa 9 pressionou bola recuada pela zaga e quase desarmou o goleiro João Paulo.

Thalles mostrou que era mesmo o atacante mais perigoso em campo. Aos 15, ele apanhou bola na intermediária e soltou uma pancada, com efeito, que João Paulo espalmou do jeito que deu, como se fosse um líbero de vôlei. O rebote sobrou para Madson chutar na rede pelo lado de fora.

FICHA

Vasco: Martín Silva; Madson, Paulão, Rafael Marques e Ramon; Jean, Wellington (Bruno Paulista), Wagner e Nenê; Yago Pikachu (Guilherme) e Thalles. Técnico: Milton Mendes.

Santos: João Paulo; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Leandro Donizete (Alisson), Yuri, Lucas Lima e Bruno Henrique; Copete e Kayke. Técnico: Levir Culpi.

Cartões: Rafael Marques, Wellington, Thalles e Breno (Vasco); Daniel Guedes, Leandro Dozinete e Bruno Henrique (Santos).

Cartão Vermelho: Daniel Guedes (Santos)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas (PA-Fifa)

Renda e público: Não houve