Delegada diz que há indícios de fraude na eleição vascaína

28/11/2017 às 16h34 - POLÍTICA

Na tarde desta terça-feira (28), a delegada da Delegacia de Defraudações, Patrícia de Paiva Aguiar, concedeu entrevista coletiva na Cidade da Polícia. Ela investiga as eleições do Vasco da Gama em 2017, e afirmou que o que foi apurado mostra indício de que o pleito teve irregularidades. Segundo a doutora, ​Eurico Miranda e mais três funcionários do Vasco foram intimados a depor.

"Aqui na Delegacia de Defraudações iniciamos as investigações. Há indícios que teriam tido fraudes na eleição. Já houve quatro depoimentos. Já há indício que houve irregularidade. Já oficiei ao clube para me oferecer documentação. Pedimos dia 9 deste mês e tinham uma semana para apresentar. Mas não foi entregue. Medidas foram tomadas e o presidente Eurico Miranda foi intimado para depor amanhã. E mais três funcionários do Vasco também". 

As ações da oposição vascaína, liderada por Julio Brant, da chapa 'Sempre Vasco', já ocorrem desde antes das eleições, como a própria delegada afirmou. Além disso, Patrícia de Paiva Aguiar reiterou que aguarda a lista de votantes após as eleições, que deve ser fornecida pelo Vasco, para dar continuidade à investigação, e lamentou o ​indeferimento para que o HD seja analisado, decisão tomada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, também nesta terça-feira (28).

"O prazo é de 30 dias a partir de 27 de novembro para concluir o inquérito. A lista apresentada pela outra chapa antes da eleição já aponta indícios de irregularidades. Esperamos a lista pós-eleição para avançar na investigação. Tinha requisitado o HD para compartilhamento de prova, mas foi indeferido. Seria interessante periciar. Mas seria apenas uma das prova. Estamos trabalhando. Temos o prazo de 30 dias para concluir o inquérito. Existem irregularidades na captação dos sócios. Vamos aguardar a lista de votantes", finalizou a delegada. 

Na última semana, ​Eurico Miranda conseguiu anular a tutela que dava a vitória provisória à chapa Sempre Vasco, onde a 'urna 7', que contém 475 votos, voltou a ser considerada para o resultado final das eleições. Desta forma, Eurico segue como presidente do Vasco, já que, somando os votos da 'urna da discórdia', o mandatário fica à frente de Julio Brant. Além do inquérito que a delegada Patrícia de Paiva Aguiar está à frente, há também um processo paralelo com a juíza Maria Cecília, que analisa tudo o que aconteceu em relação à urna nas eleições. 

Fonte: Esporte Interativo