Depoimento de Eurico durou cerca de 2h; Advogado acompanhou presidente

05/12/2017 às 22h12 - POLÍTICA

Presidente do Vasco, Eurico Miranda prestou depoimento na Delegacia de Defraudações da Polícia Civil do Rio, no fim da tarde desta terça-feira, na Cidade da Polícia. O dirigente do clube foi intimado a depor na semana passada, mas alegando problemas de saúde, não compareceu ao local. A delegada Patrícia Aguiar investiga supostas irregularidades na eleição para o Conselho Deliberativo do Clube, realizada no último dia 7 de dezembro.

O dirigente compareceu ao local por volta das 16h30, acompanhado de seu advogado, por iniciativa própria. Como ainda não havia sido intimado novamente, conseguiu evitar contato com a imprensa. O depoimento durou cerca de duas horas.

A investigação teve início depois de denúncias feitas pela oposição do Vasco, que apontaram uma série de indícios de irregularidade no quadro de sócios do clube. Quatro pessoas que teriam se associado ao Cruz-maltino de forma irregular já prestaram depoimento. Funcionários do clube também foram intimados a comparecer na delegacia.

- Recebemos a denúncia de que as práticas irregulares que ocorreram em 2014 estão se repetindo. Depois do que tivemos acesso aos depoimentos, chegamos a conclusão de que há indícios de irregularidades na capitação desses sócios - afirmou a delegada Patrícia Aguiar, em coletiva na semana passada.

A investigação deve durar 30 dias e corre sob segredo de Justiça. A eleição vascaína está nas mãos da Justiça. Existe a suspeita que 475 sócios votaram irregularmente na urna 7. Caso o problema seja confirmado, Julio Brant, candidato da oposição, será o vencedor do pleito. Se os votos forem validados, Eurico Miranda terá a reeleição para presidente confirmada. A investigação da polícia civil corre em paralelo com a apuração dos votos da urna 7 feita pelo Tribunal de Justiça e com a tentativa frustrada, por parte da oposição, de perícia no banco de dados do clube.

Fonte: Extra Online