Dinamite diz que Vasco pode entrar na Justiça comum para anular jogo

Em 20/12/2013 19:16
 
Roberto Dinamite Roberto Dinamite
Foto: Luiz Ackermann / Ag. O Globo

Se Fluminense e Portuguesa protagonizaram a ‘39ª rodada’ do Campeonato Brasileiro  na última segunda-feira, quando o STJD decretou o rebaixamento do time do Canindé, o Vasco também promete não medir esforços na Justiça para evitar sua queda à segunda divisão. Nesta sexta-feira, o presidente Roberto Dinamite afirmou que o clube de São Januário não vai parar de organizar ações para tentar anular o resultado do jogo contra o Atlético-PR, no qual foi derrotado por 5 a 1.

"Trabalho com essa possibilidade de entrar na Justiça Comum. Temos feito nosso dever de casa. Queremos os direitos do Vasco, aquilo que é legal e cabe ao Vasco da Gama. O Vasco não está parado, está vivo e vai buscar resgatar o espaço na primeira divisão. Não vamos parar. Achamos que temos uma forma legal de continuar na primeira divisão", disse Roberto Dinamite em entrevista à Rádio Globo RJ.

Para o mandatário do Vasco, a partida na Arena Joinville não tinha condições de segurança para ser reiniciado após a confusão envolvendo torcedores do time carioca e do Atlético-PR. A decisão de retomar o confronto foi tomada pelo árbitro Ricardo Marques Pereira, autoridade máxima na ocasião, o que contrariou Roberto Dinamite.

"Pedi para o arbitro, autoridade máxima, que parasse o jogo, falei que era sobre vidas, não mais sobre rebaixamento. Cabia ao juiz ter a iniciativa de paralisar o jogo. Tiveram tantos aspectos antes e depois do jogo, mas o fato é que faltou policiamento. O árbitro não tomou a atitude que deveria ter tomado e por isso estamos colhendo dados do comportamento do juiz e do policiamento para nos defendermos na Justiça", revelou o presidente do Vasco.

Para evitar o rebaixamento, o time de São Januário entrou com um pedido no STJD para anular a partida contra o Atlético-PR, mas teve o recurso rejeitado pelo Tribunal. Agora, a última cartada dos cariocas será levar a decisão ao Pleno do dia 27 de dezembro, quando novos auditores analisarão o processo.