Eleição do Vasco ocorre nesta terça (7) em São Januário

07/11/2017 às 08h05 - POLÍTICA

A tão aguardada eleição do Vasco, enfim, chegou. A partir das 9h desta terça-feira, em São Januário, os candidatos Fernando Horta, Julio Brant e Eurico Miranda - que tenta a reeleição - disputam a presidência do clube para o próximo triênio. O pleito, como de praxe no clube, está cercado de polêmica e 691 sócios sob suspeitas de irregularidades terão de votar em urnas separadas para fiscalização.

Aliados de Brant, os ídolos Edmundo, Felipe, Pedrinho e Mauro Galvão prometem comparecer e fazer o corpo a corpo. Pelo lado de Horta, sua escola de samba, Unidos da Tijuca, também se fará presente e animará os vascaínos.

Ao todo, 10.494 vascaínos estão aptos a voto. Na eleição de 2014, vencida por Eurico Miranda, 5.592 pessoas exerceram seus direitos e bateram o recorde de votação da história do clube. Para este ano, a estimativa é de que o comparecimento gire em torno deste número. A votação irá até às 22h e os sócios passarão por três checagens até chegar à urna para depositar a cédula do candidato. No último pleito, a apuração varou a madrugada.

Vale lembrar que a eleição do Vasco acontece de forma indireta, ou seja, a chapa vencedora tem o direito de indicar 120 conselheiros, enquanto a vice emplaca mais 30. Estes 150 se juntam aos 150 conselheiros natos e os 300 votam pelo presidente cruzmaltino em cerimônia fechada na sede da Lagoa.

A data para a votação no Conselho Deliberativo ainda não foi divulgada, mas costuma ser na semana seguinte ao pleito. Opositores, no entanto, acreditam que, em caso de derrota de Eurico nas urnas, a eleição fique agendada para janeiro de 2018, mês em que ocorre a troca caso outro candidato vença. Miranda, porém, é considerado o favorito nas pesquisas para vencer.

Série de ações na Justiça

A eleição do Vasco tem sido marcada por uma série de ações na Justiça. Na mais efetiva, determinou-se que 691 sócios com cadastros sob suspeita votem em urnas separadas com os dados confrontados.

No levantamento feito pela chapa "Mudança com Segurança", do candidato Fernando Horta, cerca de 5 mil sócios tiveram falhas apontadas em suas inscrições. Quase 4 mil, sem CPF, além de outros falecidos, sem endereços residenciais e oriundos de associações em massa em meses específicos.

A oposição também tentou, sem sucesso, impedir que 28 sócios fossem alçados aos status de beneméritos mês passado. Com a autorização judicial, eles poderão votar na eleição entre os conselheiros. Na última segunda (6), uma ação falhou na tentativa de adiar o pleito. A Justiça também determinou que a organizada Força Jovem terá que ficar a um raio de 2 km de São Januário.

OS CANDIDATOS

Eurico Miranda

O candidato da chapa "Reconstruindo o Vasco" tenta sua reeleição. Figura emblemática entre os dirigentes do futebol brasileiro, obteve em seu retorno, neste triênio, um bicampeonato carioca (2015 e 2016). O cartola, no entanto, amargou um rebaixamento no Campeonato Brasileiro em 2015.

Entre seus principais feitos estão os patrimoniais. Ele reinaugurou o ginásio de São Januário, reformou o Parque Aquático e construiu o Caprres (Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo), o moderno centro de saúde cruzmaltino. Alega estar diminuindo as dívidas do clube, mas as finanças vascaínas ainda são cercadas de mistério. O balanço de 2016, por exemplo, ainda não foi aprovado. Recentemente, o clube esteve com salários atrasados.

Fernando Horta

Empresário bem-sucedido, o presidente da escola de samba Unidos da Tijuca rompeu com Eurico Miranda e se licenciou do cargo de vice-presidente geral em agosto. Com ele, trouxe outros ex-aliados do atual mandatário, como o ex-vice de futebol José Luiz Moreira, o presidente do Conselho Fiscal, Otto de Carvalho, e o ex-gerente de futebol, Paulo Angioni.

O candidato da chapa "Mudança com Segurança" promete time de futebol competitivo, construção de um centro de treinamento para o Vasco e uma injeção no programa de sócios. No último mês, buscou alianças com os candidatos Julio Brant e Alexandre Campello, mas não chegou a um consenso e esbarrou em questões como divisões de cargo.

Julio Brant

Executivo com passagens pelas construtoras Andrade Gutierrez e Odebrecht, Julio Brant tenta, pela segunda vez, ser presidente do Vasco. Em 2014, foi segundo colocado com 1.570 votos, o que lhe deu o direito de indicar 30 nomes ao Conselho. No fim do mês passado, costurou uma importante aliança com o ex-candidato Alexandre Campello e formou a chapa "Frente Sempre Vasco Livre". No acordo, foi decidido que Campello será seu vice-geral. Também promete a construção de um centro de treinamento e a modernização de São Januário. 

Brant conta com o apoio de ídolos do clube como Edmundo, Felipe, Pedrinho e Mauro Galvão que, inclusive, poderão ocupar cargos no departamento de futebol em caso de vitória nas urnas.

Fonte: UOL Esporte