Eleição do Vasco tem batalha musical no lado de fora de São Januário

07/11/2017 às 15h52 - POLÍTICA
Foto: Twitter Equipe Fim de JogoUma mistura de músicas do lado de fora de São Januário
Uma mistura de músicas do lado de fora de São Januário

A disputa eleitoral do Vasco não se resume às urnas colocadas no ginásio de São Januário - onde os sócios decidem nesta terça-feira, das 9h às 22h, quem será o próximo presidente vascaíno. No lado de fora do clube, carros de som dos três candidatos - Eurico Miranda, Julio Brant e Fernando Horta - travam uma batalha musical desde o início da manhã para ver quem faz mais barulho na reta final do pleito.

Os três candidatos tinham músicas "à la samba enredo", com letras repetidas à exaustão. A potência do som é tão forte que chegava até o campo anexo de São Januário, onde os jogadores treinaram pela manhã sob o comando do técnico Zé Ricardo. Valdir Bigode, auxiliar-técnico do Vasco, compareceu à votação antes do treino com uma camisa manifestando apoio a Eurico.

Eurico Miranda, atual presidente, posicionou seu trio elétrico bem em frente à entrada social do Vasco, no portão de entrada dos sócios eleitores. A entrada em São Januário acontece ao som do jingle de Eurico, que repete bordões do mandatário - como "o respeito voltou" e "casaca" - e frisa que o presidente "precisa continuar" para "dar jeito" no Vasco.

Logo ao lado do trio elétrico de Eurico estava posicionado o carro de som de Julio Brant, que disputa sua segunda eleição em oposição ao atual presidente - foi derrotado no pleito de 2014. De tão próximas, as músicas quase se confundiam. A canção de Brant usa um bordão da torcida do Vasco - "time da virada" e faz menção tanto à "juventude em ação" do candidato quanto a seu principal apoiador, o ex-jogador Edmundo.

O carro de som de Horta ficou um pouco distante dos outros dois, no início da Rua General Almério de Moura, que ficou interditada ao trânsito neste dia de eleição do Vasco. Além de conter seu lema de campanha - "Mudança com Segurança" -, o trio elétrico de Horta alternava o jingle eleitoral com o hino do Vasco e também com sambas da Unidos da Tijuca, escola de samba da qual ele é presidente.

Fonte: Extra Online / Felipe Schmidt‏