Eleição segue viva no Vasco

13/11/2017 às 08h19 - POLÍTICA

A eleição do Vasco aconteceu na última terça-feira, mas o pleito ainda está longe de terminar em São Januário. Neste domingo, o Cruz-maltino empatou com o São Paulo, mas o clima eleitoral ainda contamina o ambiente vascaíno.

Por uma recomendação do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), os torcedores foram desaconselhados a vestirem camisas das chapas concorrentes. O pedido, também encampado pelo candidato Julio Brant, foi acatado, mas a polêmica eleição esteve presente ainda assim.

Na entrada de São Januário, um torcedor levou uma réplica da controversa urna 7 para o jogo. Foi ela a "responsável" por dar a vitória a Eurico Miranda, já que a diferença sobre Julio Brant se deu na urna com votos ainda contestados pela oposição e que serão analisados pela Justiça. A urna continha os votos de associados que estriam em situação irregular.

Apesar do apoio ao time, o torcedor hostilizou o presidente do Vasco. Tão logo o São Paulo abriu o placar, Eurico foi "homenageado" por boa parte da arquibancada, que pediu a sua saída da presidência. Como de costume, o mandatário viu o jogo na sala da presidência.

Assim que o primeiro tempo acabou, o sistema de som do estádio se encarregou de minimizar eventuais protestos. Em um volume incomum, o hino do Vasco foi colocado e as possíveis manifestações foram devidamente abafadas em São Januário.

Antes de a bola rolar, a chapa derrotada marcou presença na entrada das sociais de São Januário. Ao lado de Alexandre Campello [vice de sua chapa], Otto de Carvalho [presidente do Conselho Fiscal], Brant posou para fotos e atendeu vascaínos.

Alheio ao clima político que domina a Colina, o elenco vascaíno retoma os trabalhos de olho em uma vaga na Copa Libertadores. Na próxima rodada, a equipe de Zé Ricardo recebe a visita do Atlético-MG, quarta, às 21h45, em São Januário.

Fonte: UOL Esporte