Eleições no Vasco terá forte esquema de segurança, incluindo homens da PM

03/11/2017 às 18h13 - POLÍTICA

A eleição para a presidência do Vasco, marcada para a próxima terça-feira, promete mobilizar quase mil homens que ficarão responsáveis por garantir a segurança de candidatos e sócios do clube. É mais do que o efetivo reservado para um clássico de casa cheia no Maracanã, o que dá bem a dimensão da temperatura da política vascaína.

Dentro do ginásio de São Januário, onde a eleição acontecerá, a segurança ficará a cargo do clube. Itamar Ribeiro de Carvalho, presidente da Assembleia Geral do Vasco, explicou que a diretoria colocará à disposição 104 seguranças próprios e que contratou também uma empresa de segurança particular para prestar serviços especialmente no dia do pleito, o que deve levar o número de seguranças internos para cerca de 200 homens.

- Se Deus quiser, será tudo calmo. Fiz tudo dentro do estatuto, estamos definindo a logística com as chapas e espero que tudo aconteça da melhor maneira possível na terça-feira - afirmou Carvalho, responsável pela eleição vascaína.

Do lado de fora de São Januário, as chapas de oposição ao presidente Eurico Miranda prometem ir ao clube com forte aparato de proteção. O grupo Mudança com Segurança, de Fernando Horta, planeja chegar ao clube acompanhado de cerca de 100 homens. Já os grupos Frente Vasco Livre, de Alexandre Campello, e Sempre Vasco, de Julio Brant, resolveram manter os esquemas de segurança que haviam planejado separadamente antes de união das candidaturas. Somadas, as chapas devem levar aproximadamente 300 homens.

- Todo cuidado será tomado para que o eleitor possa sair de casa com tranquilidade e ir depositar seu voto sem ser intimidado - garantiu Campello.

Além dos seguranças particulares, homens da polícia militar deverão ser destacados para fazer o patrulhamento nos arredores de São Januário. Ainda não ficou definido se será o efetivo sairá do 4º Batalhão, responsável pelo policiamento na área, ou do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), especializados na segurança de torcedores, incluindo membros de organizadas, que devem participar em peso da eleição.

Nesta sexta-feira, uma reunião entre Itamar Ribeiro de Carvalho e representantes das três chapas que concorrem à eleição aconteceu em São Januário para tratar dos detalhes de segurança e logísticos do pleito, como acesso de sócios e fiscalização. A tendência é que 12 fiscais sejam espalhados pela área de votação para monitorar o acesso dos associados, as urnas, as cabines de votação e os mesários.

Fonte: O Globo Online