Em coletiva, Euriquinho fala em "desespero absoluto" da oposição

06/11/2017 às 17h34 - FUTEBOL

Um dia antes da eleição para o próximo triênio no Vasco, Eurico Brandão, o Euriquinho, conversou com a imprensa em São Januário. O vice de futebol do Cruz-Maltino atacou o ex-jogador Felipe. Segundo Euriquinho, o ex-meia ligou para os atletas do elenco e pedido boicote e incentivando a não ganhar os jogos. Felipe faz parte da chapa encabeçada por Julio Brant.

- Não há clube que resista. Ex-atleta que liga para os jogadores para boicotar, colocar todos contra todos dentro do clube. Incentiva a não ganharem dos jogos. Como o clube sobrevive a isso. Tenho plena convicção que o presidente vai ser reeleito amanhã. De repente o departamento de futebol tem um respiro, um alívio. O que acontece aqui é coisa de outro mundo. (...) No futebol acabamos sabendo de tudo. Muitos atletas receberam ligações, outros se reuniram. Os que estavam vindo receberam ligações para não virem. O ex-atleta que fez isso é o Felipe.

Depois de acusar o ex-meia, Euriquinho seguiu com a coletiva. Segundo ele, a ligação de Felipe não afetou em nada o desempenho dos jogadores no último domingo. Além de atacar o ex-atleta, Euriquinho também criticou a oposição, mas sem citar nomes desta vez.

- Os atletas demonstraram dentro de campo. Mas aí tem que colocar técnico para conversar, jogador na frente um do outro para eliminar fofoca. O cara que pretende assumir diz que o Vasco está falido e não vai pagar ninguém. Desespero absoluto

Veja outros tópicos da entrevista coletiva do vice de futebol do Vasco

Zé Ricardo

Temos que ter cautela, mas o trabalho do Zé Ricardo é excelente. Jogamos o último jogo em São Januário há quatro meses. Qual o prejuízo? Uma perda incrível. Tivemos o evento que até hoje não foi explicado e solucionado. Perdemos seis mandos de campo. Depois um período eleitoral em que tivemos que tirar os jogos daqui por causa de ameaças.

Campanha e traições políticas

Tivemos uma campanha satisfatória, por isso agradecemos aos atletas, ao Anderson (Barros). O que se gasta de energia para blindar, tira de outras. Passei três meses de muito sofrimento. É brigar com pessoas do próprio clube. Já temos adversários duríssimos. Pessoas que entram na sua casa, beijam seus filhos e depois te chamam de ladrão, vagabundo...

Clima político no clube

Felizmente conseguimos resistir bem e estamos há oito jogos invictos. Mas é desumano. Acho que teríamos mais sucesso se não precisávamos dispor de tanta energia para controlar essas situações.

Fonte: GloboEsporte.com