Entenda como Campello poderá ser cassado no Vasco

11/05/2018 às 08h01 - POLÍTICA

Alexandre Campello deverá ter uma batalha pela frente para se manter como presidente do Vasco. Com Roberto Monteiro como adversário direto, um tanto de opositores de um lado e outro tanto de aliados recém obtidos do outro, precisará se defender sob as regras de um estatuto que dá três caminhos diferentes para que o mandatário eleito perca o cargo.

Do outro lado da mesa, Campello enfrenta um oponente com muitos trunfos nas mãos. Roberto Monteiro é presidente do Conselho Deliberativo, o que lhe dá o direito de ditar a velocidade do rito e conduzir o processo da forma que for mais interessante. Conhecedor profundo da política do Vasco e do documento que rege o clube, sabe que a maior chance de tirar Alexandre Campello está numa suspensão.

Pelo estatuto do Vasco, qualquer membro do Conselho Deliberativo, o que inclui o presidente administrativo, pode ser suspenso por até seis meses. Para esse tipo de punição, basta a maioria simples de votos em uma sessão com no mínimo 151 conselheiros. Estima-se que apenas a Identidade Vasco, grupo de Monteiro que rompeu com Alexandre Campello, tenha aproximadamente 45 cadeiras.

Outra opção é a cassação definitiva. Neste caso, o estatuto vascaíno determina que a decisão seja compartilhada por 2/3 dos conselheiros presentes na reunião, que precisa ter no mínimo 151 presentes. Neste cenário, a articulação de Roberto Monteiro precisaria ser ainda mais ampla, incluindo o Casaca e até mesmo o grupo de conselheiros de Julio Brant.

Em ambos os casos, as punições só serão levadas para votação se uma comissão especial de inquérito for formada para apurar as denúncias que o grupo de Monteiro fez contra a gestão de Campello e as considerarem procedentes. Se o Conselho Deliberativo votar pela abertura da comissão, caberá a Monteiro eleger seus membros. Para Alexandre Campello, o melhor dos cenários é que a comissão não seja nem aberta.

Há ainda no estatuto do Vasco um terceiro caminho para a destituição da diretoria administrativa. De acordo com o artigo 74, "compete à Assembleia Geral destituir os administradores, mediante proposta do Conselho Deliberativo". Neste caso, todos os sócios com direito a voto do clube escolheriam pela mudança ou não da gestão.

Fonte: Fox Sports