Entenda por que o Vasco perdeu para o Atlético-PR

20/11/2017 às 08h12 - FUTEBOL

O Vasco teve mais uma chance de, em caso de vitória, entrar na zona de classificação da Libertadores. Não conseguiu. Pior. Se em rodadas anteriores conseguiu empates, neste domingo, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, a equipe perdeu por 3 a 1. Foram muitos erros defensivos e um ataque pouco criativo.

O resultado mantém o time com 50 pontos, mas agora na nona posição, atrás do Atlético-MG, que tem a mesma pontuação, mas melhor saldo de gols. O próximo jogo da equipe cruz-maltina é contra o Cruzeiro, domingo, às 17h (de Brasília), no Mineirão.

Foto: Reprodução:TwitterNenê
Nenê

Desde que Zé Ricardo chegou ao Vasco, seu principal mérito foi ter melhorado, e bastante, o setor defensivo da equipe. Contra o Atlético-PR, no entanto, os velhos problemas voltaram. Foram muitos vacilos individuais, problemas de posicionamento e cobertura. O terceiro gol do Furacão foi o símbolo da derrota. Após cobrança de escanteio, o lateral Fabrício desviou de cabeça sem ser importunado pela defesa e marcou. A esta altura, Breno, com dores no joelho esquerdo, já havia saído para a entrada de Rafael Marques.

Opção por uma formação mais cautelosa

Evander havia atuado bem nos últimos jogos, mas Zé Ricardo optou pelo retorno de Jean para fortalecer a marcação. O time ficou mais protegido, mas perdeu na saída de bola, lançamentos longos e, principalmente, nos chutes de fora da área. Evander entrou aos 17 do segundo tempo no lugar do próprio Jean. Um minuto depois, gol de Douglas Coutinho em chute da entrada da área e o Furacão voltou à frente.

Com a necessidade de tentar o empate, o Vasco se abriu mais e sua defesa ficou ainda mais exposta aos erros. Aos 23, Fabrício ampliou. Contra o Cruzeiro, na próxima rodada, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte, o treinador terá que fazer novamente uma escolha entre a cautela e a ousadia de tentar propor o jogo.

Problemas nas Laterais

Com o problema físico de Madson, Gilberto foi o escolhido para ocupar a lateral direita. Foi participativo, buscou jogo no ataque, arriscou dribles, mas, como de costume, deixou muitras brechas na defesa. No lado esquerdo, Henrique também teve dificuldades na marcação. Isto deixou os zagueiros mais expostos no combate aos homens de frente do Furacão.

Ataque inoperante

Além da defesa, o Vasco não teve uma noite produtiva na frente. Andrés Ríos tentou algumas tabelas e infiltrações, mas foi pouco acionado. Nenê pareceu isolado dos companheiros. Em vários lances precisou conduzir bastante a bola até ter opção de passe. Paulinho, que teve uma das poucas chances da equipe na partida, não finalizou bem. O jovem atacante teve dificuldade em dar sequência nos lances.

Fonte: GloboEsporte.com