Eurico Miranda concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (24)

24/11/2017 às 13h26 - FUTEBOL

O presidente Eurico Miranda concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (24/11) no Complexo Esportivo de São Januário e comentou a decisão proferida na última quinta-feira (23) pela desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Câmara Cível, que concedeu o efeito suspensivo sobre decisão liminar anterior que desconsiderava os 475 votos da urna 7.

"Eu nem viria falar sobre esse assunto, mas o que eu vejo é que o interesse da mídia, sem generalizar, não é para dar as notícias, mas para dar as notícias que sejam a favor de alguém. Por essa razão é que estou aqui. A mídia não comenta hoje como comentou quando teve uma liminar que modificou o resultado da eleição. Agora, quando se restabelece o resultado, não vejo a repercussão dessa forma, vejo de outra maneira. Não vejo hoje aqui alguns jornalistas que são os mais interessados em procurar noticiar o assunto, levando para o lado de que a eleição foi fraudulenta. Gostaria de dizer que o Vasco segue no seu curso normal. Foi restabelecido o curso normal, o que tira a preocupação de muita gente. Infelizmente, esse tipo de coisa só prejudica o Vasco. É algo que é feito no sentido de atrapalhar que a gente alcance os nossos objetivos, mas nós continuamos no nosso ritmo. No futebol, especificamente, o nosso objetivo continua o mesmo e vamos atrás de concretizá-lo"

- Próximos passos do processo eleitoral

"Não tem passo. O processo eleitoral está restabelecido. A decisão é muito clara, está restabelecido o pleito, estão contados todos os votos que deveriam ser contados. A única coisa objetiva que se tem é que vão ser periciados os documentos que foram entregues, algo que já havíamos solicitado antes. Foram entregues mais de 2 mil documentos. Está tudo certo, segue o normal do pleito'

- Sobre os atrasos que a decisão anterior trouxe ao futebol

"Claro que trouxe. Essa indefinição que foi colocada, com a mídia falando de candidato que já estava querendo contratar A, B, C ou D, traz um problema interno. O importante aqui no Vasco, especificamente no futebol, é que eles sabem com quem estão lidando, eles sabem que tem um presidente que responde pelos seus atos, ainda mais com restabelecimento do andamento normal da vida no Vasco. O futebol foi atingido, sem dúvidas, mas estamos buscando amenizar o dano que possa ter sido causado"

- Sobre contratações para a próxima temporada

"Nós vamos fazer. Tudo será feito no seu momento. O importante agora é que seja divulgado e tornado público aquilo que está acontecendo, em todos os sentidos"

- Sobre o tempo de duração da perícia

"O Vasco tem um escritório contratado para cuidar disso. O processo está em segredo de justiça. Não é da minha parte que algo será divulgado. Aliás, é um segredo de justiça que a gente toma conhecimento pela imprensa antes de nós mesmos sermos notificados. Da nossa parte, a gente respeita. Nesse lado jurídico e de andamento processual, eu não irei entrar, até porque não é para entrar. Andamento processual e atitude que será tomada só divulga quem tem interesse de tumultuar todo o processo. O Vasco não tem esse interesse, mas os passos serão dados"

- Sobre a reunião do Conselho Deliberativo

"Vai seguir normal. Conforme está no Estatuto, o Conselho Deliberativo se reúne em janeiro. Será na segunda quinzena de janeiro, inclusive já está previsto e marcado pela Assembleia Geral. A posse será no dia 15 e no dia 16 será eleita a diretoria administrativa, além do Conselho Fiscal. Se tiver outra decisão da Justiça que impeça, ela será cumprida. Decisão judicial pode ser discutida, mas se cumpre primeiro"

- Sobre a possibilidade do novo presidente ser escolhido após o término do atual mandato

"O clube tem diretoria. Acontecendo isso, o mandato se estende. Isso é normal, se estende, o clube não vai ficar acéfalo. Não é um problema de não ter o presidente. Se não foi eleito por força de uma decisão, se estende o atual mandato"

- Sobre os depoimentos forjados de algumas pessoas

"Quem perder irá recorrer e as coisas não terminam na primeira instância. Perde objeto não sei, mas pode ter recurso. Quero falar como se desenvolveu algumas coisas. Ningué teve interesse em saber como é que se forjou o depoimento de algumas pessoas, que foram dizer isso ou aquilo. Ficou muito claro e já está comprovado que isso foi forjada por essa chapa de oposição. O elemento principal que levou ao acontecimento disso tudo é um indivíduo chamado Alan Belaciano. Ele é que levou as pessoas a fazerem os depoimentos. Enquanto teve essa movimentação, tiveram outros 50 sócios votantes que prestaram depoimentos de sócios votantes que se sentiram prejudicados por todo esse processo. Sem dúvidas vão aparecer mais de 200. Isso já está nos autos. Não sei de quem esse indivíduo é advogado, apenas que é um advogado contra o Vasco. Isso vai ficar público. Já disse que ele induziu as pessoas a fazeram esse tipo de coisa. Mas tudo isso será devidamente revelado. Isso é tudo um negócio preparado e de comum acordo com alguns setores da mídia que tem interesse em levar esse assunto de uma forma. A nota diz que a Justiça prevaleceu e a verdade prevalecerá, com certeza"

Fonte: Site oficial do Vasco