Ex-jogador do Vasco, Da Silva falece, aos 82 anos

01/04/2018 às 11h41 - CLUBE

Faleceu neste sábado (31/03) o ex-jogador vascaíno Da Silva. Cleóbulo da Silva Décio, baiano de Ilhéus, nascido no dia 19 de janeiro de 1936, veio da Bahia para o Rio de Janeiro de navio e de graça, porque seu pai era amigo do pai de quem chefiava a embarcação. Sua ida à Cidade Maravilhosa estava longe de ser ligada ao futebol, mas sim para servir como ajudante do irmão em uma sapataria. 

Aos domingos, Cleóbulo ia jogar suas peladas em Vicente de Carvalho, até ser convidado a trabalhar de lanterneiro na empresa de ônibus Paredense. Por lá, passou a atuar disputando competições amadoras pelo chamado "Departamento Autônomo". 

Ao chegar no Olaria em 1959, vinha com o apelido de "Abóbora", que o acompanhava desde os cinco anos de idade. Seu treinador na equipe da Rua Bariri era Ademir Menezes. O famoso "Queixada" o aconselhou rapidamente a aposentar o epíteto, quando então "Abóbora" passou a ser conhecido como Da Silva. 

O ponteiro esquerdo chamou a atenção do Vasco, que o contratou a 26 de janeiro de 1961, por um período inicialmente de dois anos, mas jamais poderia Da Silva imaginar ter uma estreia tão auspiciosa vestindo a camisa cruzmaltina. Quase um sonho. 

Com o Maracanã apanhando um público de 122.038 pagantes, digno de uma decisão, mas presente de fato para ver um amistoso do Vasco diante do mundialmente temido Real Madrid, Da Silva estreou, entrando no lugar de Wilson Moreira, aos 34 minutos da etapa inicial, quando o placar era de 2 x 0 a favor dos espanhóis. 

No segundo tempo do histórico confronto internacional contra o pentacampeão europeu, brilhou a estrela de Da Silva, que após bela jogada individual centrou para o primeiro gol cruzmaltino, marcado por Casado (Contra). Por diversas vezes, causou problemas para a defensiva adversária, tendo sido considerado um dos responsáveis tanto pela reação vascaína, quanto pelo empate de 2 x 2, após grande futebol apresentado na etapa final. 

Dali para frente, Da Silva fez gols, criou algumas polêmicas por entrar duro em alguns lances (embora tenha afirmado jamais ter intenção de machucar qualquer companheiro de profissão e só tenha sido expulso uma única vez, atuando pelo Vasco), sofreu duas cirurgias para retirada de meniscos, penou para retornar aos gramados, após longo período de recuperação e pelo Vasco atuou até abril de 1965, sendo lembrado pelos torcedores que o viram jogar, tanto pela potência de seu chute, como por ser sinônimo de coragem em campo. Sua ligação com o clube se torna ainda mais estreita pelo fato de ter se casado na igreja matriz de São Januário a 12/12/1964. 

Quanto a títulos, considerando competições vencidas pelo Vasco nas quais atuou, embora o atleta tenha jogado 38 vezes pelo time principal em 1961 (26 partidas oficiais e 12 amistosas), também o fez pela equipe de aspirantes no Campeonato Carioca da categoria, marcando inclusive dois gols, sendo por isso incluído no plantel Bicampeão Carioca de Aspirantes daquele ano. 

Performance no Vasco 

Estreia: 
08/02/1961 – Vasco 2 x 2 Real Madrid-ESP – Amistoso 
____ 
Primeiro gol com a camisa do Vasco: 
30/03/1961 – Vasco 4 x 1 Fluminense – Torneio Rio-São Paulo 
____ 
Último gol com a camisa do Vasco: 
13/08/1964 – Vasco 3 x 0 Porto-POR - Amistoso 
___ 
Último jogo com a camisa do Vasco: 
21/04/1965 – Rio Branco-ES 1 x 1 Vasco – Amistoso 
____ 

TOTAL GERAL DE JOGOS: 

Jogos oficiais: 60 
Gols: 8 
Assistências: 9 
_____ 
Jogos amistosos: 33 
Gols: 1 
____ 
Títulos: 
Campeão Carioca de Aspirantes em 1961 
 

Fonte: Site oficial do Vasco