Ex-vascaíno Rafael Silva se declara ao Vasco: 'Vai ser o primeiro amor'

06/04/2018 às 08h10 - FUTEBOL

Rafael Silva não havia começado bem o ano de 2015 pelo Vasco. Contratado na temporada anterior, andava em baixa e sequer vinha sendo relacionado pelo técnico Doriva. Mas tudo mudou rápido, graças a uma intuição do atacante: após se aproximar da religião e frequentar a igreja com a família, teve a ideia de gravar um vídeo no qual falava que havia recebido uma promessa de Deus de que faria um gol na final.

- Foi num jogo contra o Flamengo mesmo, ainda na fase de grupos. Eu estava mal, não vinha sendo relacionado, mas estava indo à igreja com a família. Naquele momento falei com Deus, pedi para ele me abençoar com um gol na final. Fiquei com aquilo na cabeça. Algo me falava: “Grava um vídeo”, e eu pensava que estava ficando louco. Pensava: “Pô, gravar um vídeo, sendo que não estou sendo nem relacionado”. Gravei o vídeo, ficou no meu celular. Não mostrei nem para a minha esposa – contou Rafael.

O resultado veio na final contra o Botafogo. Ainda na reserva, ele entrou no segundo tempo do primeiro jogo e fez o gol da vitória. No fim de semana seguinte, voltou a balançar as redes. Era a volta por cima do atacante.

- Eu entrei no finalzinho. Quando fiz o gol, lembrei do vídeo na hora. Foi uma promessa que Deus tinha feito para mim – completou.

Altos e baixos no Carioca

Rafael foi reserva ao longo do Carioca. Segundo ele, o técnico Doriva teve paciência para utilizá-lo. O gol marcado sobre o Volta Redonda, na última rodada da Taça Guanabara, foi o divisor de águas.

- Eu comecei mais ou menos a pré-temporada. Era uma aposta para o Vasco na época. O treinador era o Doriva, que foi campeão comigo no Paulista (em 2014, pelo Ituano). Então, já sabia mais ou menos como eu gostava de jogar. Ele teve um pouco mais de paciência. Iniciamos o campeonato, tive altos e baixos. O gol contra o Volta Redonda foi o divisor de águas. Logo em seguida fomos para o mata-mata.

Identificação com o Vasco

Os dois gols na final converteram Rafael Silva numa espécie de talismã da torcida do Vasco. O status se solidificou quando ele marcou sobre o Flamengo, pela Copa do Brasil, eliminando o rival. Na ocasião, saiu fazendo o gesto do ceifador, hoje popularizado por Henrique Dourado.

- É um negócio meio que pessoal com o Flamengo essa comemoração. Não sei dizer quem criou primeiro. Mas aquele jogo da Copa do Brasil eu fiz aquilo porque aquela semana foi muito conturbada, muito polêmica. Alguns jogadores do Flamengo falaram que iam ganhar da gente de 3 a 0. Foi meio que um desabafo na hora que eu fiz o gol. Mas é uma coisa que já passou. Respeito muito o clube. Mas, sem dúvida se tiver oportunidade, vou fazer de novo.

Nada que tire a identificação de Rafael Silva com o Vasco. Até hoje ele acompanha o clube e mantém contato com torcedores pelas redes sociais.

- Em todo canto do mundo a gente encontra um vascaíno. Sempre respondo a eles nas redes sociais, vejo o carinho que eles têm por mim, e eu por eles. É um sentimento inexplicável que eu tenho pelo Vasco. O que sou hoje no futebol eu devo ao Vasco. Eu pretendo passar por grandes clubes, mas o Vasco vai ser o primeiro amor.

Hoje, Rafael Silva está no Dalian Transcendence, da segunda divisão da China. Seu contrato se encerra no meio do ano, e o retorno ao Vasco é um sonho que ele acalenta. Por enquanto, ele acompanha de longe e aposta no título cruz-maltino no domingo.

- Eu quero será 2 a 1 para o Vasco. Gols do Riascos e do Pikachu.

Fonte: GloboEsporte.com