Ex-Vasco, Leo Gago passa a jogar futebol amador mas nega decadência

Em 07/10/2016 22:18
 

O volante Léo Gago estava na Série B do Campeonato Brasileiro, mas vai encerrar o ano atuando no futebol amador de Curitiba. Ele defendia o Sampaio Corrêa, lanterna da competição, mas diz ter ficado sem receber por dois meses e decidiu seguir um novo rumo. Como as inscrições no futebol brasileiro - o profissional - estavam encerradas, ele aceitou o convite para defender o Iguaçu, time de Santa Felicidade, na reta final da Suburbana.

- O que me fez mudar (para o futebol amador) foi que eu queria estar jogando futebol. Vou jogar independente da situação. Estava sem receber, já estava indo para o terceiro mês. E é complicado porque tenho dois filhos, tenho que pagar escola, tudo. Não vou ser hipócrita de dizer que não preciso de dinheiro, mas, na Série A e na Série B, não dá mais para inscrever.

Na época alegando problemas pessoais, Léo Gago deixou o Sampaio no final de julho. Desde então, ele - que mora com a família em Curitiba - vinha jogando com amigos em um clube todos os sábados de manhã. Após um jogo desses, o dirigente do Iguaçu, Sidnei José Toaldo, convidou, e Léo Gago aceitou atuar na Suburbana. O dirigente comentou sobre a negociação e afirmou que ele topou atuar com apenas uma ajuda de custo.

Leonardo David de Moura tem 33 anos e acumula passagem por clubes de expressão do futebol brasileiro, como Bahia, Coritiba, Grêmio, Palmeiras, Paraná Clube e Vasco. Ele já treinou com os companheiros no Iguaçu, falou que joga futebol por prazer e admitiu um frio na barriga. A estreia será no clássico contra o Trieste, no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli (Av. Manoel Ribas, 8172), em Santa Felicidade. O time de Léo Gago, quarto colocado, já está classificado para a próxima fase. O rival é o nono - os oito melhores passam para as quartas de final.

- O grupo me recebeu muito bem. Alguns me acompanharam no Coxa e vieram tirar foto comigo. Sei que é futebol amador, alguns dizem que é decadência, mas vou jogar bola, sinto prazer em jogar, isso que importa. Muita gente trabalha de segunda a sexta e joga no fim de semana. Então, pintou a oportunidade, e eu tenho prazer em jogar futebol. Mesmo sendo futebol amador, sinto friozinho na barriga.

A Suburbana de Curitiba é considerada um dos melhores campeonatos amadores do país. Ela já teve nomes como os zagueiros Rogério Corrêa e Nem e o atacante Alex Mineiro, campeões brasileiros pelo Atlético-PR de 2001. Atualmente, conta, por exemplo, com Jociel, Bruninho (ambos ex-Paraná), Luisinho Netto, Douglas (ex-Furacão) e Laércio (ex-Coritiba). Novo reforço de peso para a Suburbana, Léo Gago diz que já tinha ouvido falar desta fama da competição:

- Desde 2008, quando vim jogar no Paraná, o pessoal já dizia que o campeonato aqui no Paraná era muito bom. Depois, quando vim para o Paraná, também. O amador aqui (Suburbana) é muito competitivo. Além disso, paga bem e tem treinos.

Apesar de trocar o futebol profissional pelo amador, Léo Gago não quer pendurar as chuteiras tão cedo. Em 2017, quando a janela de inscrições voltar a abrir, ele pretende acertar com um novo clube - profissional - para disputar um campeonato estadual. Caso não tenha sucesso, investirá em um projeto pessoal e fará faculdade (o curso, ele ainda vai decidir).

- Eu não podia mais jogar por outro clube. As inscrições para Série A e Série B já tinham encerrado. Para C e D, também. Se eu receber uma proposta e for legal, beleza. Se não, eu continuo em Curitiba, com um projeto que eu estou fazendo. Estou estudando inglês em, no ano que vem, quero fazer faculdade, estou amadurecendo essa ideia, mas só se eu não acertar com algum clube. Sendo bem sincero, quero jogar mais três anos ainda. Nunca machuquei, nunca tive uma lesão muscular, só uma no tendão do pé. Nunca fiquei no DM (departamento médico) nos clubes pelos quais eu passei - completou o jogador de 33 anos.