GE: Torcida do Flamengo dá vexame e vê virada sensacional do Vasco no fim

Em 03/10/2016 22:44
 
Murilo marcado de perto por dois atletas do VitóriaMurilo marcado de perto por dois atletas do Vitória
Foto: Stephan Eilert/Solar Cearense

Depois de nove anos sem se enfrentarem em Estaduais, Flamengo e Vasco fizeram um clássico com todos os ingredientes da eterna e centenária rivalidade. Das provocações e brigas na arquibancada do Tijuca - ocupada apenas por rubro-negros por determinação da Polícia Militar - à emoção em quadra, o Vasco ignorou as adversidades e conseguiu uma marcante vitória de virada por 82 a 77 sobre o eterno rival, assumindo a liderança isolada do Estadual com três vitórias em três jogos.

O Rubro-negro, que estreou o badalado armador Ricardo FIscher nesta segunda, volta a jogar pelo Estadual na próxima quinta, contra o Macaé, em Macaé, às 19h. Já o Vasco pega o Botafogo na sexta, novamente no Tijuca Tênis Clube, com torcida única vascaína. Por conta das confusões no duelo desta noite, o Flamengo deve ser punido financeiramente pela Federação do Rio.

O JOGO


A partida começou animada. Hélio abriu o placar para o Vasco em uma cesta de dois pontos. Marcelinho e Marquinhos viraram para o Flamengo. O jogo seguiu lá e cá nos minutos seguintes. Aos três jogados, Fiorotto enterrou para o Cruz-maltino fazendo 8 a 8. A cinco minutos do término, o Flamengo abriu cinco pontos, quando Ronald Ramon sofreu falta e converteu os dois lances livres. Pouco depois, Marquinhos acertou chute para três e fez 18 a 10. Empurrado pela torcida, o Rubro-negro tratou de aumentar a vantagem com Marcelinho, obrigando o técnico Christiano Pereira a parar a partida. Mesmo com o tempo técnico, o time da Colina não conseguiu mudar o panorama do confronto, indo para o segundo quarto perdendo por 25 a 18.

O período seguinte se iniciou com uma cesta de dois de Marquinhos. O Vasco respondeu com um chute certeiro Nezinho, mas o Flamengo tratou de pontuar novamente, dessa vez com o estreante Ricardo Fischer, lançado pelo técnico José Neto na volta para o período. Aos poucos, o técnico José Neto começou a promover um rodízio de jogadores, lançando os jovens Humberto, Lelê, João Vitor e Léo Bispo, que tratou de mostrar o seu valor fazendo 34 a 22 em bela jogada individual. Mesmo com uma equipe teoricamente menos experiente, o Flamengo seguiu dominando o quarto. A um minuto do fim, Olivinha recebeu de João Vitor e fez 44 a 26.  

A 28 segundos do intervalo, uma briga entre duas torcidas organizadas do Flamengo na arquibancada interrompeu a partida por cerca de 20 minutos, causando momentos de pânico e correria no Tijuca Tênis Clube. Reiniciada a partida, o Vasco conseguiu cortar a vantagem para 11 pontos, obrigando José Neto a pedir tempo. A parada interrompeu o ímpeto vascaíno, e o Rubro-negro foi para o intervalo vencendo por 44 a 33.

O time da Colina voltou mais motivado para o terceiro quarto, pontuando logo na saída com Hélio. O Flamengo só foi marcar a sua primeira cesta aos três minutos, quando Olivinha acertou chute para três. Aos cinco, David Jackson pontuou para o cruz-maltino cortando a vantagem para cinco pontos: 47 a 42. Pouco depois, Nezinho chutou para dois e deixou o Vasco e três pontos do empate. A dois minutos do intervalo, David Jackson arremessou livre e empatou a partida. O lance foi a senha para o Flamengo acordar. Comandado por Fischer, o Rubro-negro voltou a se impor e logo abriu cinco pontos. O time de São Januário não se entregou, buscou nova reação, mas encerrou o período perdendo por 54 a 50.

Com a mão calibrada, Palacios abriu o placar do último quarto com uma bela cesta de dois. O Flamengo pontuou na sequência com Ronald Ramon, que ainda sofreu falta, convertida pelo mesmo em lance livre. Inspirado, Ramon acertou um chute de três minutos depois, levando a torcida rubro-negra à loucura. Pouco depois, com a base jovem em quadra, o Flamengo voltou a ficar confortável no placar quando Lelê fez 64 a 54. O Vasco não se entregou e buscou a reação até o fim. A dois minutos do término, Nezinho diminuiu para 70 a 68, incendiando o final do jogo. 

De tanto insistir, o Cruz-maltino conseguiu a virada a 35 segundos do término, com Fiorotto. O Flamengo pontuou na sequência, com Fischer. Instantes depois, uma nova confusão na arquibancada interrompeu a partida por mais cinco minutos. Retomado o duelo, o Rubro-negro fez falta em David Jackson para tentar forçar o Vasco ao erro. O americano, contudo, converteu os dois lances livres, fazendo 79 a 76. Para fechar o caixão rubro-negro, David Jackson ainda roubou bola na defesa vascaína e serviu Fiorotto, que definiu o placar em 82 a 77.

ESCALAÇÕES

Flamengo: Ramon, Marcelinho, Olivinha, Marquinhos e JP Batista. Reservas: Ricardo Fischer, Lelê, Danilo, Humberto, Léo Bispo, Jorge e João Vitor. Técnico: José Neto.

Vasco: Hélio, Palacios, Bruno Fioroto, Murilo e David Jackson. Reservas: Wagner, Ricardinho, Marcellus, Márcio, Drudi, Nezinho e Bruninho. Técnico: Christiano Pereira.