Ídolo e pária: a ausência de Roberto Dinamite na eleição do Vasco

07/11/2017 às 21h47 - POLÍTICA
Foto: Cezar LoureiroRoberto Dinamite
Roberto Dinamite

A hostilidade sofrida por Felipe, Pedrinho e Edmundo ao chegarem para votar na eleição do Vasco nesta terça-feira faz lembrar da ausência do maior ídolo do clube. Roberto Dinamite não compareceu para participar do pleito e, por mais triste que isso possa ser, ninguém sentiu a falta dele.

Três anos depois, sua passagem frustrada pela presidência do Cruz-Maltino não foi esquecida. Na verdade, o maior sinal de que ainda está viva na memória é o esforço que todos os candidatos fazem para não ter a imagem atrelada à do maior artilheiro da história do clube. Para se ter ideia, na segunda-feira, em um ato já de desespero, a chapa de Fernando Horta espalhou via whatsapp o boato de que ele teria anunciado apoio a Brant em um programa de televisão.

Quem é a favor de Eurico aponta Dinamite como principal culpado pelas dificuldades financeiras vividas pelo clube. Quem é contra, acusa o ex-camisa 10 como o responsável por trazer Eurico de volta à presidência, com o fracasso de sua gestão.

É difícil saber quando a ferida irá se cicatrizar e Roberto Dinamite voltará a ser idolatrado como merece no Vasco, pelo jogador que foi. Entretanto, o risco de arranhar a idolatria construída nos gramados parece valer a pena. Se não fosse o caso, Felipe, Pedrinho e Edmundo, última leva de ícones de primeira grandeza do time, não estariam dispostos a entrar na selva que é a política vascaína.

Fonte: GloboOnline