Imprensa e polícia são duramente criticadas por Eurico em coletiva

Em 16/07/2017 18:45
 

Após o empate em 0 a 0 entre Vasco e Santos sem torcida no Nilton Santos, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, deu uma coletiva de imprensa. Nela, o dirigente criticou a postura da imprensa na cobertura das brigas em São Januário na vitória do Flamengo, no último sábado. O presidente também condenou a ação da polícia no mesmo episódio.

- Criar-se atmosfera que o Vasco teria sido culpado pelo que aconteceu? O Vasco não tinha interesse nenhum no que aconteceu. Atuação da PM foi abusiva, temerária, excessiva, negligente. Demonstrou incompetência. Vasco representa resistência para que as coisas não sejam feitas de acordo com interesses outros.

- A pessoa que morreu, morreu a 4 quadras do estádio do Vasco. E foi o PM que atirou. Teve um PM que atirou bombas de gás lacrimogênio e ainda se vangloriou. A PM tomou alguma medida a respeito? Quem pediu para fazer a revista foi a PM, não o Vasco. O Vasco não fez nada que não fosse dentro do estipulado previamente - afirmou Eurico.

Eurico também lamentou o estádio vazio, que prejudica as receitas do Vasco, que, além de não vender ingressos, é obrigado a alugar um estádio para jogar enquanto São Januário está interditado.

- Prejuízo por alto de mais de 1 mi. Levando em conta o que deixa de arrecadar e o que tem que gastar. Vasco recebeu dupla punição. Jogar fora de São Januário e com portões fechados. Futebol sem torcedor é como se fosse um treino fechado. Jogo de hoje era para ter estádio lotado, com sua torcida. Não pode dar segurança em São Januário, mas aqui pode? Onde mataram um com espeto.