Jogadores de Vasco e Fla são denunciados pelo STJD por confusão em clássico

23/06/2018 às 11h08 - FUTEBOL

A confusão no clássico entre Flamengo e Vasco, disputado em 19 de maio pelo Brasileirão, ainda pode ter repercussão negativa para os clubes. Na segunda, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgará cinco atletas: Breno e Riascos, do Cruz-Maltino, e Rhodolfo, Cuéllar e Everton Ribeiro, do Rubro-Negro. A sessão da Primeira Comissão Disciplinar está marcada para às 13h.

Confusão no clássico

A Procuradoria ofereceu denúncia aso quatro atletas expulsos - Breno, Riascos, Cuéllar e Rhodolfo - por praticarem agressão física. Nesse caso, de acordo com o artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, a pena prevista é de suspensão mínima de quatro jogos e que pode chegar até 12 partidas.

O meia Everton Ribeiro, por sua vez, foi denunciado por ato desleal ou hostil. Na denúncia foi destacado que o jogador do Flamengo, após sofrer a falta de Riascos, deixou o pé levantado propositalmente a fim de atingir o adversário.

Apesar de não ter sido punido pela arbitragem, a Procuradoria do STJD ofereceu denúncia através da prova de vídeo e enquadrou Éverton Ribeiro no artigo 250 do CBJD, que tem punição de uma a três partidas de suspensão.

Quem for suspenso, começará a cumprir a punição na 13ª rodada do Brasileiro, após a disputa da Copa do Mundo. O Vasco, 12º lugar com 15 pontos, encara o Fluminense. O clássico será realizado em São Januário, em 19 de julho, às 20h.

Líder, o Flamengo enfrenta o São Paulo, no Maracanã, no dia 18. O Rubro-Negro já tem problemas para a partida. Na última rodada antes do Mundial, no empate em 1 a 1 contra o Palmeiras, Henrique Dourado, Jonas e Cuéllar foram expulsos também por causa de uma confusão e são desfalques certos contra o Tricolor. Os três ainda serão julgados pelo STJD em sessão a ser marcada.

A situação de Cuéllar é preocupante, visto que o volante colombiano será julgado duas vezes em sequência e será tratado como reincidente, o que pode fazer com o Superior Tribunal de Justiça Desportiva o puna mais severamente.

Fonte: Terra