Jorginho admite atuação ruim: "Não é comum não termos essa intensidade"

Em 01/10/2016 19:30
 
Júlio CésarJúlio César
Foto: Carlos Gregório Jr-Vasco

"Foi um jogo ruim". Com essa frase o técnico Jorginho resumiu todo o seu pensamento sobre a atuação do Vasco na tarde deste sábado, no Recife, na derrota por 3 a 1 para o Náutico na Arena Pernambuco. O treinador admitiu que a equipe esteve em jornada infeliz e lamentou o gol sofrido no começo da segunda etapa, logo após ter feito a primeira alteração.

- Tivemos um primeiro tempo muito ruim. Realmente, o Náutico soube aproveitar muito bem. O Rony foi o nome do jogo, fez a diferença com velocidade, jogadas individuais. Tentamos de todas as formas bloquear esse tipo de jogadas, sabíamos que era o forte. A coisa não estava acontecendo com o Jorge Henrique, coloquei o Alan para fazer a dobradinha com o Julio Cesar, mas sofremos o gol muito rápido. A equipe foi melhor no segundo tempo, mas foi um jogo ruim. No terceiro gol, fomos para o tudo ou nada. Agora, é ter calma. Seguimos em primeiro, estamos próximos do nosso objetivo e vamos em busca dos resultados. O Náutico fora de casa é sempre difícil. - disse o treinador. 

Confira a entrevista na íntegra:

Jogos contra Paysandu e Londrina

Se quisermos alcançar rápido a pontuação para primeira divisão, temos que ganhar os dois jogos, mas futebol não é assim. Serão jogos difíceis. Se conquistarmos quatro pontos, é bom. Se vierem os seis pontos, será ótimo. Em Manaus, temos a certeza de que a torcida vai ser maioria e vai nos incentivar.

Thalles e Ederson juntos

O Thalles dá profundidade. Ele é muito forte e consegue fazer o papel de pivô, coisa que o Ederson tem um pouco mais de dificuldade pelo corpo. Ele é muito inteligente, sai para fazer um-dois, mas é uma forma melhor para o Thalles jogar. Vamos ver o que fazemos para o próximo jogo. O Nenê tomou o terceiro amarelo, vamos ver.

Primeiro gol de Madson

Fico feliz pelo primeiro gol dele, por ele ter acreditado, ter feito um gol de esquerda. Queria vibrar com ele, mas não teve nem como, ele logo saiu correndo.

Desfalques

Tem que mexer, não tem jeito. Os jogadores têm entrado e conseguido organizar a equipe. O primeiro tempo foi bem atípico. Não é comum não termos essa intensidade. Foi muito mais isso do que organização. A coisa não aconteceu e precisamos mudar até para darmos força ofensiva. Vamos ficar uns três ou quatro jogos sem o Douglas, que é jovem e entrou muito bem, fez uma boa partida, tentou dar uma consistência boa no meio-campo. Agora, é ter calma e pensar no que fazer.

Julio dos Santos como primeiro volante

Tentamos com o Douglas (no treinamento), mas ele é um jogador muito ofensivo, cai bem pelas laterais, aproxima, bate bem para o gol. Faltou força ofensiva. Com o Julio, temos uma consistência boa pelo lado para que o Madson passe, mas falta chegada. O Julio é bom para disputa da bola aérea, saída de bola.

Martín Silva

É um grande goleiro. Só não é o titular da seleção uruguaia porque eles têm outro grande goleiro como o Muslera. Estamos felizes por contar com ele. Fez uma grande partida, senão poderia ter sido... No segundo tempo, eles tiveram chances e o Martín foi fundamental.