Jorginho sobre torcida do Vasco: 'De emocionar'

Em 22/09/2016 08:16
 
JorginhoJorginho
Foto: UOL

Era o jogo mais importante do Vasco no ano. Ciente disso, a torcida cruz-maltina fez sua parte: encheu São Januário e estabeleceu o maior público do clube no estádio em 2016, com 17.393 pagantes. A vitória sobre o Santos não veio, o time deu adeus ao sonho da Copa do Brasil, mas os fanáticos vascaínos souberam reconhecer o esforço, com aplausos aos jogadores e a Jorginho no fim do 2 a 2 com os santistas.

Cenário bem diferente do que aconteceu em jogos anteriores. Na recente sequência de tropeços do Vasco em São Januário, os torcedores perderam a paciência. Vaiaram Jorginho - que respondeu na derrota para o Vila Nova - e jogadores, pediram disposição, exigiram que o time voltasse a jogar da maneira como iniciou o ano. Se a eliminação na Copa do Brasil deixa ferida dolorosa, ao menos promove a reconciliação entre a arquibancada e o campo.  

- Em primeiro lugar, queria destacar a torcida do Vasco da Gama. Realmente, foi uma coisa de emocionar. O respeito, o carinho, a força que eles deram foi sensacional. Terminamos o jogo e todos os jogadores saíram aplaudidos. Acho que é o ponto alto do jogo de hoje. Estávamos sentindo a falta do torcedor nos jogos do Vasco e precisamos muito deles. Temos um jogo importantíssimo no sábado, contra o Atlético-GO, que decide a liderança (da Série B) - elogiou Jorginho após a partida. 

Pessimismo superado com promoção

Na semana passada, dirigentes do Vasco mostravam pessimismo com o público. Cientes do momento ruim que o time atravessa, faziam projeção otimista de 10 mil presentes em São Januário contra o Santos. Na Série B, a falta de interesse da torcida é notória. A média de público é de 4.568 pagantes. Antes do jogo contra o Santos, o recorde do ano em São Januário havia sido no clássico contra o Flamengo, em fevereiro, com 13.656 pessoas.

A promoção de ingressos feita pelo clube colaborou para que a marca fosse largamente ultrapassada, mas a possibilidade de mais uma virada histórica na principal competição do ano também seduziu os cruz-maltinos.

O clima mostrou-se diferente desde o início. Com o “Caldeirão” lotado, o Vasco equilibrou na raça e no apoio dos torcedores a diferença técnica que existe em relação ao Santos. Não conseguiu a classificação, mas o apoio demonstrado no fim da partida pode ser um bom legado para a reta final da temporada, em que o Cruz-Maltino precisa confirmar o retorno à elite. 

Um teste interessante acontece no sábado, contra o vice-líder Atlético-GO, às 16h30, em São Januário. Jogo sem promoção, mas também decisivo para as pretensões do clube. Afinal, ninguém cogita subir para a Série A sem ser em primeiro lugar.