Jornalista analisa e compara tabela de jogos e pontuação vascaína

17/06/2017 às 22h32 - FUTEBOL

Ao derrotar o Avaí por 1 a 0, o Vasco alcançou 12 pontos após sua oitava partida no Campeonato Brasileiro. Na campanha do último rebaixamento, em 2015, o time somava apenas três após oito aparições. Um grande progresso como mostra a matemática, contudo, há detalhes relevantes embutidos nessa curta trajetória.

Em 2015 eram quatro jogos em casa e a mesma quantidade fora, dois pontos ganhos em empates com Goiás e Internacional em São Januário, e um fora, diante do Figueirense. Curiosamente os três clubes hoje estão na Série B. Portanto o Vasco não havia vencido naquelas primeiras oito rodadas de Série A há dois anos.

Desta vez os vascaínos tiveram cinco dos oito primeiros jogos em seu estádio, onde conquistaram todos os pontos, vencendo Bahia, Fluminense, Sport e Avaí. Nas três partidas fora do Rio de Janeiro, derrotas para Palmeiras, Grêmio e Chapecoense. Também perdeu em seus domínios para o Corinthians.

Esse desequilíbrio da tabela vai continuar. O próximo jogo será com mando do Botafogo, mas naturalmente no Rio de Janeiro, de onde os vascaínos não precisarão sair no compromisso seguinte, contra o Atlético Goianiense, novamente na Colina.

Serão 10 jogos até lá, seis em São Januário e apenas três longe da cidade. Além disso, o Vasco terá encarado os três times que, como ele, vieram da Série B já nessa primeira dezena de partidas. Todos no estádio do clube. A tabela, generosa, prevê o último clássico carioca deste primeiro turno para a 12ª rodada, diante do Flamengo, novamente na casa cruzmaltina.

É evidente que ao final do certame haverá equilíbrio entre jogos em casa e fora, graças a uma balança imposta pelo sistema de ida e volta. E o returno trará uma distribuição ingrata ao Vasco com a inversão natural de todos esses mandos.

Mas é evidente que esse começo favorável ajuda o Vasco a escalar a tabela de classificação, fugir das últimas posições e aumenta a chance de o time chegar mais tranquilo a esse momento complicado do certame, bem adiante. Uma boa tabela pode facilitar ou dificultar as coisas. Cabe ao afortunado time aproveitar. É o que os vascaínos vêm fazendo.

Do conforto de sua sala, o presidente Eurico Miranda apenas observa os pontos acumulados nesses tantos jogos em casa. Provavelmente os palavrões e o coro insistente de torcedores que gritam "Fora" para ele incomodam menos nessas circunstâncias.

Fonte: Blog Mauro Cezar Pereira – ESPN.com.br

Enquete

Quem você quer que seja o novo presidente do Vasco?