Julio Brant, sobre urna separada: "Como vascaíno, me senti constrangido"

08/11/2017 às 20h06 - POLÍTICA

A votação para a presidência do Vasco aconteceu nesta terça-feira (7 de novembro), mas os torcedores cruzmaltinos provavelmente ficarão cercados por incertezas por mais algum tempo. Apesar da chapa da situação se declarar vencedora, o opositor Julio Brant superou Eurico Miranda nas urnas regulares – foram 1933 votos a 1683.

A causa da discórdia é a urna destinada para votos de sócios que estão sob suspeita de irregularidade. Enquanto Eurico Miranda leva em conta os 474 votos desta urna para declarar sua vitória, Brant os descarta. Pelo Facebook oficial da chapa Sempre Vasco, Julio Brant, candidato da oposição vascaína, afirmou que a sétima urna não poderia ter sido aberta e contabilizada ontem, em São Januário, mas sim pela desembargadora que determinou o procedimento.

Também pela rede social, o advogado da Sempre Vasco participou do vídeo ao lado de Brant e detalhou o processo.

“A primeira batalha foi ganha. A estratégia que já vinha sendo desenhada vem sido cumprida, ela começou logo após a eleição de 2014. Estamos nos debruçando sobre o problema. A turma que está lá agora colocou na imprensa que eles ganharam a eleição, mas eles não ganharam, quem ganhamos fomos nós. Ontem tivemos uma situação atípica, que foi a ocorrência de uma urna em separado, esses votos deveriam ter sido apenas contabilizados, mas não contados. Como vascaíno, me senti constrangido”.

Fonte: Site da Fox Sports