Julio Brant vai ao STJD denunciar árbitro de Vasco x Santos

Em 25/09/2016 08:16
 

Júlio Brant, conselheiro e opositor do presidente vascaíno, Eurico Miranda, ingressou com uma denúncia no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) contra o árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima, da partida entre Vasco e Santos, em São Januário, no Rio de Janeiro, na última quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

A motivação do conselheiro cruzmaltino foram reclamações sobre a arbitragem de Gonçalves Lima. Segundo Brant, foram cometidos seis erros que resultaram na eliminação do Vasco na Copa do Brasil com o empate de 2 a 2, em São Januário. 

A ESPN obteve o documento encaminhado ao procurador geral do STJD, Felipe Bevilacqua, na tarde da última sexta-feira. Ao longo de 13 páginas, Brant pede uma punição ao árbitro, que pertence ao quadro da federação gaúcha e é aspirante Fifa.

A denúncia foi feita com base no artigo 259, isto é, "deixar de observar as regras da modalidade". As penas previstas são suspensão de 15 a 120 dias com possibilidade de multa de R$ 100 a R$ 1.000. Se o árbitro for reincidente, a suspensão pode ser de 60 a 240 dias.

"O árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima falhou com suas funções como árbitro por diversas vezes, não observando, de forma inexplicável e anormal, várias regras da modalidade do futebol, que acabaram prejudicando o CR Vasco da Gama", relatou Brant no documento.

As reclamações listadas pelo conselheiro vascaíno são:

"O primeiro lance foi um pênalti não marcado após o Gustavo Henrique, atleta do Santos, tocar com o braço a bola de forma deliberada dentro da grande área do Santos (prova também anexada em vídeo)", citou sobre lance ocorrido aos 43 segundos do jogo.

"O segundo lance é outro pênalti não marcado para o CR Vasco da Gama aos 15 minutos do 1º tempo (prova também anexada em vídeo). Perceba que o árbitro está bem posicionado neste lance, de frente para a jogada, mas nada faz", descreveu, acrescentando fotos.

"O terceiro lance de mão na bola do Santos e pênalti não marcado ao CR Vasco é menos acintoso que os outros já mostrados, mas também não deixa de ser pênalti (prova também anexada em vídeo)", relatou sobre lance aos 34 minutos do primeiro tempo.

Para reforçar os argumentos, o conselheiro citou no documento a nota oficial do Vasco e a reclamação da diretoria e do técnico Jorginho após o jogo da última quarta.

 "Porém, por mais que a Douta Procuradoria entenda que os lances não ensejam uma punição ao árbitro pro não respeitar as regras da modalidade, o mesmo não poderá ser dito pelo principal erro do árbitro. Aos 38 minutos da etapa final, o Santos empatou o jogo em 2 a 2, após a não marcação de uma evidente falta do atleta do Santos, Lucas Lima, em cima de Alan, do CR Vasco, e na sequência da jogada, dois impedimentos do Santos não foram marcados, e que acabaram resultando em gol do Santos, feito contra por Rodrigo, zagueiro do CR Vasco", escreveu sobre o que chama de "três erros em um".