Libertadores não terá mais nome de patrocinador em 2018

22/12/2017 às 22h54 - IMPRENSA

A Conmebol vai mudar o nome da Libertadores de 2018, pois decidiu não vender mais os naming rights da competição. A Bridgestone foi a única a ter sua marca associada ao nome do campeonato em contrato que acabou neste ano. Agora, a estratégia da confederação é manter o nome limpo. 

Havia uma tradição na Conmebol de vender os naming rights da Libertadores. Assim, o nome já esteve associado à Toyota, ao Santander e agora à Bridgestone. É um contrato significativo em valores, embora a entidade não revele seu montante. 

Mas a Conmebol tem uma nova estratégia comercial para a Libertadores. E a diretoria da entidade propôs ao Comitê Executivo da entidade que se abrisse mão do contrato de naming rights. Associado a isso, a Bridgestone avisou que não renovaria seu acordo pois investirá na Olimpíada de Tóquio-2020. Ou seja, esse dinheiro não estava disponível. 

Diante disso, a Conmebol decidiu não procurar um novo parceiro de naming rights. Repetirá assim a estratégia da Liga dos Campeões que mantém sua marca limpa, com patrocinadores inseridos em outros momentos. Será possível, por exemplo, dizer que a Libertadores é patrocinada por uma empresa, mas não que tem o nome dela. 

Haverá ganhos comerciais em outros acordos. Por exemplo, a Amstel, que patrocina a Libertadores neste ano, teve que fazer uma negociação para botar o logo da Libertadores em suas latas. Isso porque não queria colocar o logo da Bridgestone em suas latas, a empresa de pneus abriu mão. 

Material promocional da Libertadores-2018 já não contém mais outra marca. Agora, o nome usado é apenas Conmebol Libertadores. 

A estratégia comercial inteira da Conmebol com patrocinadores deve mudar. Hoje, são oito parceiros com quatro com contratos grandes, e quatro com contratos menores. A intenção é botar todos na mesma categoria e incluir oito no total. 

Fonte: Blog Rodrigo Mattos