Martín Silva esclarece pedido de dispensa da seleção do Uruguai

Em 13/10/2016 20:47
 
MartínMartín
Foto: Kaio Machado

Nem adeus ao Uruguai, nem exclusividade ao Vasco. Martín Silva evitou teorias e optou pela sinceridade em entrevista coletiva nesta quinta-feira, em São Januário. Depois de ficar fora da seleção de seu país diante de Venezuela e Colômbia, pela eliminatórias, o goleiro esclareceu o motivo que causou a não convocação: não podia sair do Rio de Janeiro para resolver problemas particulares. Na ocasião, especulou-se que o uruguaio tomou tal decisão para não desfalcar o Cruz-Maltino, enquanto seu empresário, Régis Marques, levantou até a possibilidade de uma aposentadoria definitiva da equipe nacional. Tudo prontamente negado. 

- Foi um assunto falado com a comissão técnica do Uruguai e com o Vasco. Aproveito para agradecer a compreensão de todos. Foi um momento particular. Tinha assuntos importantes pessoais para atender e precisava ficar perto da minha família. Não era o momento para sair do país, ficar dez dias fora, longe da família e pedi para ser poupado dessa convocação. Ainda assim, pude cumprir com meus deveres no Vasco e segui trabalhando tranquilamente. Foi só isso. 

A posição de Martín Silva faz até mais sentido diante de episódios recentes. Por mais que Jordi tenha oscilado ao substituí-lo, demonstrou clara evolução nas oportunidades que teve em 2016 e não comprometeu a campanha tranquila do Vasco para o acesso na Série B. Além disso, o goleiro não abriu mão da seleção de seu país em momentos onde o clube, teoricamente, precisava mais de suas defesas, como em oito partidas na trajetória que acabou decretando o rebaixamento no ano passado. 

A participação na Série B, por sinal, foi outro tema que levou Martín Silva a ter um posicionamento firme e sincero. Vice-líder, atrás do Atlético-GO, o Vasco tem trajetória tranquila para o acesso, mas vê o título em risco. O goleiro não negou a responsabilidade pela tradição do clube de São Januário, mas já afastou qualquer tipo de fantasma caso o troféu vá para Goiânia. 

- O mais importante é definir o acesso e pensar na Série A. É o que importa para todo mundo, inclusive para a torcida. Quando você vê um time como o Vasco na Série B, há essa pressão, obrigação de brigar pelo título. É normal. Vamos brigar pela responsabilidade de time grande, mas sabemos que ser formos campeões não vai acrescentar nada para história do Vasco, que tem títulos tão grandes e mais importantes. É só para ratificar o papel de time grande na Série B.

Por fim, Martín admitiu a queda de rendimento da equipe no segundo turno da Série B e a tratou como normal ao longo da temporada. Exemplificando partidas boas e ruins, o goleiro cobrou maior constância ao Vasco. 

- Não posso definir em um aspecto a queda de rendimento. Foram muitos, o campeonato é longo e é normal que o time caia de produção. Não tem um time do mundo todo que repita o mesmo nível o ano todo. O importante é sair dessa fase o antes possível. Temos muita coisa a corrigir. Fizemos bons jogos contra o Santos, o Atlético-GO, jogos que deixaram dúvidas contra Náutico e Paysandu. Temos capacidade de se impor e ser o mais regular possível.

O Vasco é o segundo colocado da Série B, com 54 pontos, um a menos que o Atlético-GO, e encara o CRB, sábado, às 16h30 (de Brasília), pela 31ª rodada.