Milagre? Autuori não faz! Vasco joga mal e empata com o Olaria

Em 27/03/2013 18:04
 

Era um dia de novidade. Um sopro de esperança para os cruz-maltinos. Mas fora a estreia de Paulo Autuori como técnico e algumas mudanças no time titular, o Vasco não teve nada de novo em campo. Erros de passes, de finalizações, técnica limitada e um empate por 0 a 0 com o Olaria, em Moça Bonita, na tarde desta quarta-feira, pelo Grupo A da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Carioca). Agora são duas derrotas e um empate. Como o Madureira perdeu para o Volta Redonda por 1 a 0, e ainda não somou pontos, o Gigante da Colina é o penúltimo colocado. O Olaria é o terceiro, com cinco.

Compre a camisa do Vasco modelo Preta clicando aqui ou modelo Branca (clicando aquicom FRETE GRÁTIS E ENTREGA IMEDIATA na Fut Fanatics

A torcida cruz-maltina voltou a exibir a faixa com a mensagem “Clássicos em São Januário”, discordando da decisão da Federação do Rio de passar os jogos entre os grandes para o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Discordando também do futebol apresentado com gritos de “time sem vergonha”.

Compre agora o miniestadio de São Januário clicando aqui

O Vasco volta a campo daqui a uma semana, na próxima quarta-feira, para o clássico contra o Botafogo, no Raulinho de Oliveira. O Olaria pega o Friburguense, domingo, às 16h (de Brasília), no Eduardo Guinle.

Que dureza

Foi um primeiro tempo ruim. E tão contraditório que nem mesmo as tradicionais pipas que costumam atrapalhar o andamento dos jogos em Moça de Bonita deram as caras. Mas o contraditório ficou mais evidente com o que pensava o estreante Paulo Autuori e o que time de fato executou em campo. O treinador disse antes de a bola rolar:

- Torço para que possamos ganhar o jogo, mas sempre jogando bem. Temos que ter isso na nossa cabeça.

E o que time fez foi jogar mal, muito mal. Eder Luis tentava uma jogada pela esquerda, nada. Carlos Alberto queria organizar o time, mas tudo continuava desorganizado. Tenório corria, mas não finalizava. Os laterais cruzavam, bola da defesa. Wendel cobrava a falta, bola para fora. Dedé arrancava bonito com a bola, passe errado. Fellipe Bastos cobrava escanteio e chutava de fora da área, chance perdida. Sandro Silva dava um bonito chapéu, mas...

O Olaria também errava. Um chute de Erick Santos de fora da área, com Alessandro espalmando, somado à finalização para fora de Zé Carlos (ex-Botafogo e Flamengo), e só. O que restou de bom foi a sinceridade de Thiago Feltri ao deixar o campo:

- Estamos pecando mesmo na parte técnica.

Segue o jogo (ruim)...

Paulo Autuori parecia incomodado. Tanto que, ainda aos 26 minutos da etapa inicial, já demonstrava a vontade de mudar. A conversa com Pedro Ken ao pé do ouvido no banco de reservas deixou claro. E o volante entrou no lugar de Wendel na volta do intervalo.

Efetivamente, o que mudou mesmo foi a vontade do time. Tanto de acertar como a de errar. Tenório fez bem o pivô antes de mandar a bola para Carlos Alberto. O meia tocou para o meio da área e encontrou Eder Luis com o gol aberto. O atacante mandou no travessão. Isso tudo com cinco minutos.

Doce ilusão. A equipe acabou se contradizendo novamente. Alessandro rebateu um lance para o meio da área. Susto. Dedé errou a saída de bola. Contra-ataque do Olaria. Mas Renato Silva aliviou a barra do companheiro de zaga ao cortar o toque de Eick Santos que seria mortal. Outra vez Paulo Auturi agiu: saiu Thiago Feltri, entrou Elsinho. Nei passou a jogar na lateral esquerda. Saiu Fellipe Bastos, entrou Dakson.

De nada adiantou. Como disse Carlos Alberto durante a semana para os torcedores que invadiram o campo, \"é o que temos para hoje\".