"Não podemos esquecer de alguns trabalhos bons que fizemos", diz Jorginho

Em 15/10/2016 20:09
 
JorginhoJorginho
Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Após a derrota para o CRB em São Januário, o treinador Jorginho concedeu entrevista coletiva e analisou o desempenho vascaíno em seu 31º compromisso no Campeonato Brasileiro da Série B. O comandante destacou a atuação do Gigante da Colina nos primeiros 25 minutos e lamentou o alto número de oportunidades desperdiçadas durante esse período. O tetracampeão mundial falou também sobre a insatisfação demonstrada pela torcida após o apito final.

- É justíssima a insatisfação da torcida. É normal o torcedor se manifestar da forma que se manifestou, até porque quer ver o Vasco sempre protagonista em casa e jogando bem. Não tem como tirar a razão dele. Eles viram o que nós vimos. Foram um dos melhores 25 minutos iniciais da minha equipe. Dominamos o início do primeiro tempo. Tivemos 12 finalizações e não conseguimos transformar esse domínio em gols. Antes do gol deles sair, cheguei a chamar o Martín e alertar para a força do contra-ataque deles. Acabou que tomamos os dois gols em erros nossos e temos que assumir. Modificamos o time, mas não melhoramos no segundo tempo - declarou o técnico.

Ao ser perguntado sobre a queda de rendimento da equipe em relação ao primeiro semestre, Jorginho concordou com a afirmação, mas lembrou que o trabalho desenvolvido na metade inicial da temporada não pode ser deixado de lado. O comandante relembrou as conquistas da Taça Guanabara e do Campeonato Carioca e citou o retrospecto excelente diante dos rivais. O profissional acredita que o time cruzmaltino merece um voto de confiança.

- Nós fomos vaiados, treinador, equipe e presidente, mas não podemos esquecer de alguns trabalhos bons que fizemos. Ganhamos dos três grandes clubes do futebol brasileiro e carioca. Ganhamos um campeonato invicto e convencendo, não jogando apenas bem, mas muito bem, com vontade e raça. Fizemos um planejamento para a parada das Olimpíadas e no retorno não conseguimos manter o nível de atuações, uma média boa de atuações. O time teve uma queda técnica e tática, que é de minha responsabilidade. Procuramos treinar e organizar a equipe, mas infelizmente as coisas não aconteceram ainda. Esse grupo já deu muitas alegrias ao Vasco e foi aplaudida de pé num passado bem recente. Então, não se pode desistir dele. Vamos trabalhar para que a coisa mude - afirmou o comandante.

Fonte: Site Oficial do Vasco