Nova preocupação: Pagamento de Philippe Coutinho ainda não foi feito

14/03/2018 às 20h02 - CLUBE

Justamente quando mais precisa, o Vasco não está contando com o famoso profissionalismo dos grandes clubes da Europa. O atraso na transferência do dinheiro referente à ida de Philippe Coutinho para o Barcelona impede o clube de amenizar o problema de atraso no pagamento de salários de funcionários e atletas. O clima em São Januário é de expectativa a respeito de quando receberá a primeira parcela de um total estimado em R$ 15 milhões.

A diretoria contratou um advogado especializado no mecanismo de solidariedade da Fifa para tratar da questão. Liverpool e Barça serão acionados para que o Vasco tenha um posicionamento a respeito da transferência. É o clube espanhol, como responsável pela compra dos direitos econômicos, quem tem a responsabilidade de transferir o dinheiro para o Vasco. Os cariocas esperavam receber o valor até sexta-feira passada. O pagamento será feito em três parcelas, uma que já deveria ter sido recebida, outra em agosto e a última em janeiro de 2019.

Sem outra alternativa para quitar os salários atrasados a curto prazo, a vida não tem sido fácil na Colina. Há relatos de funcionários que não estão indo a São Januário trabalhar por causa da falta de dinheiro para pagar o transporte. Quem é contratado como pessoa jurídica reclama não ter recebido os vencimentos de janeiro e fevereiro, o que foi pago para quem tem carteira assinada.

O Cruz-Maltino ainda deve os salários de dezembro, 13º e férias, para quem tirou os 30 dias de descanso no mês dezembro, passivo herdado do presidente Eurico Miranda. Para diminuir os gastos com a folha salarial, o clube tem demitido funcionários de todos os setores. Entretanto, as rescisões não estão sendo pagas em muitos casos. Os funcionários estão sendo convidados a fazer acordo com a diretoria vascaína ou então a entrar na Justiça Trabalhista para conseguir os seus direitos. Acordos feitos pela gestão passada, com funcionários demitidos, deixaram de ser cumpridos.

O presidente Alexandre Campello e seus principais vice-presidentes estão no mercado atrás de novas fontes de receita. O dirigente tenta liberar parcelas de pagamento do patrocínio da Caixa que ainda não foram pagas. Ele também tem encabeçado algumas conversas a respeito de um novo patrocinador máster para a camisa.

Paralelamente, o departamento de marketing e o vice-presidente de futebol, Fred Lopes, empresário do ramo de material de construção, também estão atrás de possíveis patrocinadores para o clube da Colina.

Fonte: Extra Online