O que acontece com o Vasco até janeiro?

17/11/2017 às 08h10 - POLÍTICA

A decisão da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves suspendeu os votos da urna 7, o que fez Julio Brant ficar em primeiro lugar na eleição do Vasco. Tudo definido? Nem um pouco. O clima político do clube vai seguir agitado até janeiro, quando acaba o atual mandato de Eurico Miranda. Até lá, o Conselho Deliberativo precisa se reunir para escolher o novo presidente – e nesse caminho uma batalha jurídica ainda deve ser travada.

Situação confusa? Não se preocupe. O GloboEsporte.com responde as principais dúvidas abaixo:

Eurico Miranda pode recorrer da decisão da juíza?

Sim. E já afirmou que vai recorrer. Ele alega que todos os documentos pedidos foram entregues e questiona a rapidez da decisão. O diretor jurídico do Vasco, Leonardo Rodrigues, mostrou confiança em reverter a situação.

- Me parece que a decisão tem um caráter abrupto, sem o Vasco ser previamente ouvido. Só a versão dos autores. Nos preocupa e será abordado no recurso é que quem diz que há fraude está usando de fraude no processo. Foi um tiroteio se lançando no judiciário – disse Rodrigues.

Eurico Miranda conversa com Julio Brant: os dois travam disputa na Justiça (Foto: André Durão)

Quando o Vasco vai entrar com recurso?

O clube ainda não foi citado oficialmente. A tendência é que o recurso só seja executado na próxima semana.

Quando se esgota a possibilidade de recurso?

O caso ainda está na primeira instância. De acordo com o advogado João Basílio, autor da ação que separou 691 sócios suspeitos na urna 7, o Vasco pode recorrer ainda numa instância superior, do Tribunal da Justiça.

- Em tese, o caso poderia ir até para Brasília (no Supremo Tribunal Federal), mas isso é difícil – explicou Basílio.

Se a decisão for mantida, qual o próximo passo?

A juíza determinou que o presidente da Assembleia Geral, Itamar Carvalho, dê prosseguimento ao processo eleitoral. Isso significa convocar o Conselho Deliberativo, que é quem escolhe o novo presidente do Vasco. Com a decisão mantida, a chapa de Julio Brant poderá escolher 120 conselheiros, e a de Eurico, 30 – eles se somarão aos 150 natos para decidir o novo presidente.

Até quando o Conselho Deliberativo pode se reunir?

A juíza determinou que o processo ocorra com base no estatuto – e nele não há limite estipulado. A aposta da oposição é de que a convocação ocorra perto do fim do mandato de Eurico.

Enquanto isso, quem comanda o Vasco?

Eurico tem mandato até o dia 16 de janeiro. Até lá, a administração do clube segue com ele.

A decisão do Conselho Deliberativo será soberana?

Não. Ela será entregue à juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, que será responsável por homologar o resultado. Ela também determinou que os conselheiros assinem um livro de votação e depois o assinem de novo, após contagem de votos. O caderno será entregue em juízo.

- Pelo que vi, os conselheiros tomariam posse e, com os outros conselheiros natos, elegeriam a diretoria administrativa, que não seria empossada. A atual administração continuará no cargo. Mas ainda não tivemos acesso ao processo. Ou seja, traz um transtorno administrativo. Trará litigiosidade ao clube – avaliou Leonardo Rodrigues, diretor jurídico do Vasco.

Fonte: GloboEsporte.com