Os bastidores da eleição do Vasco 2017

08/11/2017 às 12h24 - POLÍTICA

- Vamos ganhar por 500 votos. Pode anotar.

A frase acima é de um membro influente da chapa de Eurico Miranda. Ela traduz a confiança que os apoiadores do atual presidente tinham ao longo da eleição para o Conselho Deliberativo do Vasco, em São Januário. No fim, a vitória veio, não sem polêmica, e por uma margem bem menor: 136 votos separaram Eurico de Julio Brant.

A confiança de Eurico

Desde as primeiras pesquisas de boca de urna, ficou claro que Eurico e Brant estariam parelhos na eleição. Uma diferença bem menor que a esperada por correligionários do atual presidente, que admitiam nos bastidores que a adesão havia ficado aquém.

Eurico conversa com Brant, observados por Euriquinho (Foto: André Durão)

Eurico, porém, manteve o discurso. Pouco antes de ser anunciado o resultado da última urna a ser apurada, ele dava entrevista afirmando que a eleição estava ganha. Nem a reclamação em relação a uma urna separada, que pode ser anulada pela Justiça, tirou seu otimismo.

- A eleição está ganha. Só estou ansioso pelo anúncio do resultado - afirmou o atual presidente.

A relutância de Horta

Quem também ficou abaixo das expectativas foi Fernando Horta. Desde o início, ele apareceu em terceiro lugar nas pesquisas informais, bem atrás dos outros candidatos. Com este cenário, iniciou-se um movimento entre seus aliados para que ele apoiasse Brant. Mas foi difícil convencê-lo.

Horta com Campello e Brant, no momento da união das chapas de oposição (Foto: Felipe Schmidt)

Horta criticou bastante Brant durante a campanha - talvez num nível equiparável ao de Eurico. Por isso, não lhe agradava a ideia de ter que abrir o candidato. No início da tarde, muitos aliados tentavam convencê-lo.

- Só depende do Horta. Está nas mãos dele - diziam.

Após diversas reuniões pelos corredores de São Januário, Horta, enfim, capitulou. Por volta das 16h20, ele apareceu junto com Julio Brant e Alexandre Campello para anunciar o apoio. Porém, estava visivelmente contrariado e sequer cantou o Casaca puxado por Otto Carvalho, seu antigo aliado. Ele nem ficou para a apuração no ginásio.

A resenha de Brant

O apoio de Horta só foi possível graças a um longo trabalho de convencimento. E Julio Brant desempenhou esse papel não só com o novo aliado, mas até com concorrentes. Ao longo do dia, era possível ver o candidato conversando com diversos nomes: desde Eurico Miranda a Euriquinho, passando por José Luís Moreira.

Brant, junto com Alexandre Campello, também escoltou Felipe e Pedrinho. Os dois ex-jogadores apoiaram o candidato e foram juntos votar. No ginásio, o antigo lateral-esquerdo passou perto de Euriquinho, que o havia acusado de ligar para os atuais jogadores do clube para boicotar o time, mas não houve confusão.

Brant acompanhou a apuração ao lado de Campello, outro que esteve atuante no ginásio ao longo do dia. No fim, com uma votação expressiva, decidiu não assinar e reconhecer o resultado da eleição. A chapa "Sempre Vasco Livre" vai recorrer na Justiça.

Fonte: GloboEsporte.com