Paulo Vitor exalta exemplo do irmão são-paulino

14/11/2017 às 08h12 - FUTEBOL

A garotada tem se destacado no Vasco, mas um deles ganhou a condição de xodó da torcida: Paulo Victor. Com apenas 18 anos, o atacante tem chamado a atenção pela ousadia mostrada dentro das quatro linhas. O orgulho da família Fernandes Pereira não se resume ao vascaíno. Denilson, atacante do São Paulo, é o "exemplo" para irmão mais novo, brilhou após aplicar lindo chapéu em um rival durante o clássico com o Botafogo.

"Os torcedores gostaram do recurso que eu usei e pediram para que eu não abaixasse a cabeça, principalmente depois da reação dos jogadores do Botafogo de vir para cima de mim. Disseram que tinha que ser assim mesmo e que no futebol faltam jogadores assim", disse Paulo Victor, em um evento de lançamento de chuteiras da Nike, sua patrocinadora. 

"No futebol as coisas mudam muito rápido e a gente tem de saber lidar com essas situações [fama repentina], para não deixar mudar muita coisa dentro da cabeça. Tenho a sorte de ter pessoas do meu lado que sempre me dão conselhos, sempre conversam comigo e, além disso também tenho um exemplo dentro de casa com meu irmão, que joga no São Paulo. Ele é mais velho, já passou por algumas coisas e a gente conversa muito", completou o atacante do Vasco.

E o irmão, de fato, é muito importante na vida de Paulo Victor. Revelado nas categorias de base do Fluminense, Denilson foi negociado com o Granada-ESP e ainda passou pelo Neftchi, do Azerbaijão. Apesar do tempo fora do Brasil, a proximidade dos irmãos é enorme.

"Eu e meu irmão somos muito unidos. Ele sempre ficou fora de casa muito tempo, por jogar fora, mas somos muito apegados, muito amigos. Rola sempre aquela zoação básica entre irmãos, mas esse era o nosso sonho, um desejo que a gente sempre teve e um sonho da nossa família também. Então, ver os dois jogando juntos, mesmo que em lados opostos, é uma emoção muito grande. Eu desejo as melhores coisas do mundo para ele", completou o atacante do Vasco.

Denilson foi revelado pelo Fluminense e Paulo Victor pelo Vasco. O mais jovem, no entanto, teve passagem nas categorias de base do Tricolor antes de voltar para o Cruzmaltino. Isso gerou rebuliço na época, mas hoje já é encarado com naturalidade pelo atacante.

"Muitas das coisas que saíram na imprensa na época foram um pouco exageradas. Eu era do Vasco, cheguei no clube com 8 anos de idade, tive minha passagem também pelo Fluminense, clube onde também aprendi muito. Só tenho a agradecer a quem contribuiu com meu crescimento lá dentro também, mas no futebol às vezes você tem que tomar algumas decisões, fazer algumas escolhas. Foi melhor para mim e para minha família voltar para o Vasco. Foi uma decisão em conjunto", finalizou a promessa do Vasco.

Fonte: UOL Esporte