Petkovic relembra julgamento no TAS referente ao Vasco

16/05/2018 às 08h21 - FUTEBOL

Notícia da semana no Brasil e no mundo, a suspensão de Paolo Guerrero segue norteando as discussões esportivas. O atacante do Flamengo, punido com mais oito meses pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), viajou ao Peru para tentar uma última cartada para jogar a Copa do Mundo da Rússia. Enquanto isso, o imbróglio virou tema de debate do "Troca de Passes" da noite desta terça-feira.

O apresentador, Tiago Maranhão, disse que não está defendendo Guerrero, mas citou um outro caso de doping para questionar a falta de critérios na aplicação de penas do TAS:

– Maria Sharapova, tenista russa, ela confirmou que tomava um medicamento proibido durante anos da carreira. Era como um suplemento alimentar, mas proibido. E pegou 15 meses, um mês a mais que o Guerrero. Não existe um equilíbrio. Ou a punição dela, por um caso de uso constante, consistente de anabolizante, deveria ser muito mais severa, ou o caso dele, de contaminação, deveria ser muito mais branda.

Tiago também citou o exemplo da Justiça brasileira, que permitiria um dirigente de continuar exercendo sua função enquanto recorre nos tribunais. Comentarista da mesa, o sérvio Petkovic explicou que essa lógica não existe na Fifa e citou o próprio julgamento no TAS, quando ainda era jogador, para argumentar que nem sempre a entidade que comanda o futebol mundial tem razão:

– Na Fifa primeiro vem a suspensão, depois a análise dos fatos. Eu fui suspenso pela Fifa para quê? Um advogado daqui manda a documentação, a Fifa analisa em dois dias e me suspende. Eu mando toda a documentação que tinha necessária para fazer uma transferência internacional. Certificado de transferência internacional, tenho. Contrato com o time, tenho. Por que me suspende?

– A alegação era que eu rescindi o contrato unilateral com o Vasco. Não foi, se tivesse rescindido unilateral não teria o certificado de transferência internacional. Mas aí fui suspenso, depois vamos na audiência... Depois que eu ameacei processar a comissão de arbitragem da Fifa, aí vamos chegar a um acordo. Anularam tudo, voltei a jogar... Então, às vezes a Fifa comete erros.

Fonte: GloboEsporte.com