Presidente do Vasco-AC busca apoio de Eurico Miranda

Em 03/10/2016 21:19
 

Uma viagem ao Rio de Janeiro para participar de uma reunião na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), rendeu ao presidente do Vasco-AC, Renato Machado, o Lobinho, um encontro com o presidente do Vasco, Eurico Miranda, na tarde desta segunda-feira (3). Na conversa com o dirigente do Cruz-Maltino carioca, no gabinete presidencial em São Januário, o mandatário do "primo" acreano solicitou apoio ao clube para a temporada 2017 e recebeu um sinal positivo para o pedido.

- Vim para uma reunião na CBF e aproveitei para vir falar com o Eurico e pedir uma ajuda para o Vasco da Gama-AC. Era um encontro que estava programado desde quando oVasco foi jogar no Acre, em 2015, contra o Rio Branco, pela Copa do Brasil. Ele prometeu que iria ajudar. Nesta terça voltaremos para conversar com ele, às 17h30, e ver o que teremos de ajuda para fazermos um time, em 2017, forte para buscar o título. Vamos bater o martelo e também ver uma ajuda de material para o clube - comentou.

Lobinho relacionou que a solicitação feita não está diretamente ligada a apoio financeiro, mas em suporte para a disputa do Campeonato Acreano.

- Financeiro a gente sabe que é difícil. Mas que eles pudessem mandar uns dois jogadores que não estão sendo aproveitados no elenco, pagando o salário, e o Vasco-AC dando alojamento e a comida. Ele (Eurico) já falou com os filhos para nos arranjar o material e sobre os jogadores teremos a resposta nesta terça - detalhou.

De acordo com o presidente do Vasco-AC, o pensamento para o próximo ano é brigar diretamente pelo título estadual e não contra o rebaixamento. O Cruz-Maltino não levanta a taça do Campeonato Acreano desde 2001, quando bateu o Rio Branco na decisão. Na temporada 2016, terminou na quarta colocação.

- Só participar do campeonato (Acreano) para não cair, não podemos entrar nisso mais. Temos que conquistar o título e para isso precisamos buscar ajuda fora. A federação (de Futebol do Acre - FFAC) corre atrás de ajuda e nós também temos. Em Rio Branco poucas pessoas ajudam o Vasco - completou.